Notícias

Sea Shepherd persegue os baleeiros japoneses ontem

Yushin Maru 2

Yushin Maru 2

A frota baleeira japonesa não está onde deveria estar nesta época do ano.

No ano passado, a frota estava operando no Mar de Ross. Este ano, a sua “pesquisa científica” deveria ter lugar nas águas ao sul e oeste da Tasmânia, a leste e sul da África do Sul.

Todo ano eles alternam. Mas não este ano! Embora os baleeiros tenham tentado começar suas operações matando no sudoeste águas da Austrália, os navios da Sea Shepherd têm perseguido a frota baleeira para o leste. Às 17:00 horas (horário da Austrália), o Bob Barker encontrou o Yushin Maru nº 3 em 66 graus, 22 minutos ao Sul, e 179 graus, 05 minutos a Oeste.

Interceptados a 500 milhas a oeste de Fremantle, na Austrália, a frota japonesa percorreu mais de 4.500 milhas náuticas pelos últimos 30 dias, todo o caminho para o Mar de Ross, muito ao leste da Austrália. Esta é uma média de 150 quilômetros por dia, deixando muito pouco tempo para matar baleias com apenas um navio arpoador. Os outros dois navios arpoadores ou estão perseguindo, ou procurando os navios da Sea Shepherd.

“Você pode dizer que perseguimos os assassinos de baleias ontem, uma vez que cruzaram a Linha Internacional de Data”, disse o Capitão Paul Watson, do navio da da Sea Shepherd, Steve Irwin. “Isso mostra que eles realmente não têm um cronograma científico no que eles chamam de pesquisa, porque isso os obrigaria a colher “amostras” de baleias das duas áreas diferentes, alternadamente a cada ano. Isto não é por causa da ciência e nunca foi. Não é nem pelo lucro, ainda mais porque temos reduzido os seus lucros. É simplesmente pelo orgulho. A caça à baleia no Oceano Antártico tornou-se um projeto de bem-estar fortemente subsidiado para uma indústria arcaica que não tem lugar no século XXI”.

A campanha da Sea Shepherd, Operação Vento Divino, tem sido um desafio este ano devido aos 30 milhões de dólares alocados para a frota baleeira para maior segurança. Esse dinheiro foi retirado do fundo de ajuda do tsunami e terremoto.

“Eles têm 10 milhões de dólares para cada um milhão de dólares que temos para financiar nossos três navios”, disse o capitão Alex Cornelissen, do Bob Barker. “Eles têm o total apoio de seu governo e, literalmente, têm uma licença para matar, porque se qualquer um de nós formos feridos ou mortos, o governo irá apoiá-los e justificar suas ações. Nossos governos nos condena por apenas jogar manteiga podre em suas plataformas”.

A perseguição na parte inferior do mundo envolve cinco navios da frota baleeira japonesa e dois navios da Sea Shepherd. O terceiro navio da Sea Shepherd, o Brigitte Bardot, foi danificado pelos mares bravios e teve que retornar a Fremantle, na Austrália, para reparos.

Nunca antes a frota baleeira japonesa abandonou uma “pesquisa” baleeira em uma área designada por outra. A Sea Shepherd aparentemente interrompeu gravemente o plano baleeiro japonês para esta temporada, e custou-lhes uma enorme quantidade em combustível. Além disso, dois dos três navios arpoadores foram desviados do objetivo de matar baleias para ficar na cola do Steve Irwin e do Bob Barker. O Yushin Maru nº 2 está seguindo o Steve Irwin e o Yushin Maru nº 3 está seguindo o Bob Barker. Isso deixa somente o Yushin Maru livre para caçar baleias.

A Sea Shepherd tem sido capaz de manter a frota baleeira em movimento, e continua a acompanhar seus movimentos, baseando-se nas operações do drone e de 10 anos de experiência, após acompanhar os movimentos previsíveis dos baleeiros.

Na temporada passada, o Bob Barker foi capaz de perseguir o Nisshin Maru todo o percurso até a ponta da América do Sul, antes de sair e voltar ao Japão humilhado, após alcançar apenas dezessete por cento de sua cota de matança.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list