Notícias

Sea Shepherd persegue frota baleeira japonesa até o final de março

A Sea Shepherd Conservation Society esteve perseguindo a frota baleeira japonesa por 60 dias. O Steve Irwin cobriu aproximadamente 21.000 Km e o Bob Barker, quase 27.000 Km.

Ainda existe a possibilidade de outros 50 dias.

A tripulação da Sea Shepherd pretende continuar perseguindo a frota baleeira até o final da temporada de caça, que seria entre 15 e 25 de março.

A Sea Shepherd se deparou com muitos obstáculos nessa temporada.  O primeiro foi o desvio de cerca de US$ 30 milhões de dólares do fundo pós-tsunami e terremoto, para prover a segurança da frota baleeira, e o segundo foi a perda de nosso navio, o Brigitte Bardot, quando foi danificado por uma onda no início da campanha.

Apesar disto, as embarcações da Sea Shepherd, Steve Irwin e Bob Barker, se mantiveram na corrida permanentemente, e assim continuarão.

A frota baleeira sacrificou 64 dias de suas operações com seu navio arpoador no intuito de parar as embarações da Sea Shepherd. Se os baleeiros tivessem uma média de oito baleias por dia, isso seria 512 baleias que não foram mortas, porque estavam ocupados tentando manter nossas embarcações distantes de sua frota. Essencialmente, o Nisshin Maru tem apenas um navio arpoador para trabalhar com ele, e os dois navios foram forçados a se manter em movimento, sobrando pouco tempo para parar e caçar.

O Nisshin Maru perseguiu o Steve Irwin por 4 dias.

O Nisshin Maru II perseguiu o Steve Irwin por 22 dias.

O Nisshin Maru III perseguiu o Steve Irwin por 10 dias, e o Bob Barker por 18 dias.

O Shonan Maru II perseguiu o Steve Irwin por 20 dias, e o Bob Barker por 12 dias.

Yushin Maru: Ficou um total de 4 dias sem caçar, perseguindo a Sea Shepherd.

Yushin Maru II: Ficou um total de 34 dias sem caçar, perseguindo a Sea Shepherd.

Yushin Maru III: Ficou um total de 26 dias sem caçar, perseguindo a Sea Shepherd.

Shonan Maru II: Ficou um total de 32 dias perseguindo a Sea Shepherd (navio de segurança).

É como se os dois navios da Sea Shepherd tivessem bloqueado o reabastecimento do Nisshin Maru pelo Sun Laurel.

Pela primeira vez a frota deixou sua área designada de vigilância e retornou para a antiga área de vigilância no Mar de Ross na esperança de despistar as embarcações da Sea Shepherd, as quais estavam em perseguição.

“Se eles capturaram 80 baleias até agora, eu ficaria surpreso,” disse o Capitão Paul Watson.

Embora os navios da  Sea Shepherd não pudessem se aproximar do Nisshin Maru por causa de seus navios arpoadores, eles ainda puderam seguir o Nisshin Maru com “drones” (pequenos aviões operados por controle remoto) e confiando no gelo e condições do tempo, consequentemente mantendo a frota na corrida.

Para ser 100% eficaz, a Sea Shepherd precisa de outro navio para manter os três navios arpoadores ocupados e esse navio precisa ser capaz de exceder a velocidade dos arpoeiros.

A Sea Shepherd fez um convite oficial ao Greenpeace para enviar um navio para atingir esses 100% de cobertura. O Greenpeace recusou.

Então, para alcançar esse objetivo de 100%, a Sea Shepherd Conservation Society lançou uma campanha para agariar fundos e adquirir um quarto navio para a campanha de 2012/2013.

Enquanto isso, o Bob Barker voltará para o norte para abastecer e o Steve Irwin continua a perseguição. O Bob Barker irá retornar com combustível suficiente para as duas embarcações continuarem na perseguição até o final da temporada de caça as baleias.

“Nós não daremos tempo a esses caçadores de baleias,”  disse o Capitão Paul Watson. “Nós iremos caçá-los até o inferno congelar, e faremos isso até o final de março, quando o gelo Antártico irá forçar esses assassinos de baleias a deixarem essas águas. Enquanto eles estiverem correndo, não podem matar baleias, e cada dia que os impedimos de matar baleias é uma vitória para a Sea Shepherd e para as baleias.”

Traduzido por Aline Louali, voluntária e diretora de vídeos do Instituto Sea Shepherd Brasil.

Back to list