Notícias

Sea Shepherd intercepta frota baleeira japonesa com drones

Frota japonesa de segurança se aproxima do Steve Irwin

A tripulação interceptou a frota baleeira japonesa no dia de Natal, mil milhas ao norte do Santuário de Baleias do Oceano Antártico.

Peter Brown lança o drone a partir do Steve Irwin.

Peter Brown lança o drone a partir do Steve Irwin.

O navio da Sea Shepherd, Steve Irwin, lançou um drone (pequeno avião operado por controle remoto) para localizar e fotografar com sucesso o navio fábrica japonês Nisshin Maru, no dia 24 de dezembro. Quando a perseguição se iniciou, três navios arpoadores e de segurança da frota japonesa se aproximaram do Steve Irwin para proteger o Nisshin Maru e permitir que escapasse.

Dessa vez, no entanto, a tática japonesa de seguir o Steve Irwin e o Bob Barker não vai funcionar, porque os drones, no Steve Irwin e no Bob Barker, podem localizar e seguir o Nisshin Maru e transmitir sua posição para os navios da Sea Shepherd.

“Nós podemos cobrir centenas de milhas com esses drones e eles provaram ser elementos valiosos para essa campanha”, disse o Capitão Paul Watson, a bordo do Steve Irwin.

O drone, chamado Nicole Montecalvo, foi doado para o Steve Irwin pela Bayshore Recycling, de New Jersey.

O Capitão Watson, depois de receber relatos de pescadores quando o navio japonês passou pelo Estreito de Lombok, esperou ao sul do Estreito, a uma distância de 500 milhas da costa sudoeste do Oeste da Austrália. A Sea Shepherd encontrou os baleeiros a 37 graus ao sul, muito acima do Santuário de Baleias do Oceano Antártico.

Eleanor Lister - marinheira no Steve Irwin - Cidadã britânica de Jersey

Eleanor Lister - marinheira no Steve Irwin - Cidadã britânica de Jersey

“A perseguição se iniciou para as próximas 1000 milhas,” disse a marinheira Eleanor Lister, de Jersey (Reino Unido).

Com o Steve Irwin ocupando os recursos de três navios japoneses,o Bob Barker fica livre de perseguidores e o Brigitte Bardot fica livre para escoltar o navio fábrica, pela sua velocidade superior a dos navios arpoadores.

A tripulação da Sea Shepherd encontrou a frota japonesa antes que uma baleia sequer tenha sido morta.

“Essa vai ser um aperseguição longa e dificil daqui até a costa da Antártica,” disse o Capitão Paul Watson. “Mas graças a esses drones, nós agora temos uma vantagem que nunca tivemos antes, olhos no céu.”

Histórico do Drone do Steve Irwin:

Bayshore Recycling se empenhando para proteger e conservar a natureza

O drone Nicole Montecalvo ajuda a Sea Shepherd a preservar a vida marinha em todo mundo.

Woodbridge NJ- A Bayshore Recycling Corp (BRC) não apenas se empenha para proteger os recursos naturais do planeta através da reclicagrem mas também encoraja todos a ajudar a vida selvagem em perigo. Para promover e encorajar esse esforço, os donos da BRC recentemente doaram um drone de longa distância adaptado com câmeras e equipamentos de detecção para a Sea Shepherd Conservation Society (SSCS). A SSCS é uma organização internacional e sem fins lucrativos de ação direta voltada para a conservação da vida marinha. A SSCS precisava de um veículo aério adicional que pudesse ajudar a sua frota e expandir suas capacidades para escanear centenas de milhas a mais em cada voo e assim ajudar a encontrar e documentar navios baleeiros e outras operações ilegais de pesca predatória. O drone também vai auxiliar a frota ajudando a protegê-la, seus tripulantes e alertando-os quanto a possíveis ameaças, quando seu helicóptero não puder ser utilizado.

Um drone de longa distância é definido como um veículo aéreo não armado que não requer um operador humano e que pode voar independentemente ou se operado remotamente. O drone chamado Nicole Montecalvo que ajudou a localizar a frota baleeira japonesa no Oceano Antártico ajudou em operações contra a pesca predatória do atum azul na costa da Líbia. O drone Nicole Montecalvo foi entregue no Steve Irwin pelo Oficial de Segurança do Navio enquanto trafegava em direção à Antártica procurando o navio-capitânia japonês, o Nisshin Maru. BRC ressalta a importância de conservar os habitats naturais do nosso planeta. Seja poupando recursos naturais, conservando energia, preservando espécies selvagens em perigo ou reciclando resíduos domésticos – a Bayshore se apresenta para o desafio. Juntos, BRC e SSCS irão lutar para salvar os oceanos e seus vulneráveis habitantes.

A Bayshore Recycling Corp (BRC) acredita em poupar o espaço dos lixões para futuras gerações e avançar a recuperação de materiais através da reciclagem e operações sustentáveis. Quando a construção estiver completa, a Bayshore vai operar um negócio 100% verde e alimentado 100% por energia renovável. A Bayshore opera atualmente cinco negócios de reciclagem diferentes em Woodbridge Township, NJ, fazendo desta companhia uma das mais inovadoras a verticalmente integradas do Nordeste dos EUA. Para mais informações, por favor visite www.bayshorerecycling.com.

Capitão Paul Watson, piloto da Sea Shepherd Chris Aultman e Oficial de Segurança da Sea Shepherd Jeffrey Milstein com o drone no hangar do Steve Irwin. Photo: Barbara Veiga

Capitão Paul Watson, piloto da Sea Shepherd Chris Aultman e Oficial de Segurança da Sea Shepherd Jeffrey Milstein com o drone no hangar do Steve Irwin. Photo: Barbara Veiga

O Nisshin Maru visto pelo drone em 24 de Dezembro, 2011

O Nisshin Maru visto pelo drone em 24 de Dezembro, 2011

A Sea Shepherd Conservation Society (SSCS) é uma organização internacional e sem fins lucrativos voltada para a conservação da vida marinha. Sua missão é acabar com a destruição de habitats e a morte da vida marinha nos oceanos do mundo para conservar e proteger ecossistemas e espécies. A Sea Shepherd usa táticas inovadoras de ação direta para investigar, documentar e agir quando necessário para expor e confrontar atividades ilegais no mar aberto. Para mais informações, por favor, visite www.seashepherd.org.

Traduzido por Marcelo C. R. Melo, voluntário do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list