Notícias

Sea Shepherd Global lança Operação Bloody Fjords

Na sequência do sucesso da Campanha em Defesa da Baleia-piloto 2015, a Sea Shepherd Global anuncia a Operação Bloody Fjords , uma nova campanha direcionada à sangrenta matança de baleias-piloto nas Ilhas Faroe.

Todo ano, mais de 1.000 baleias-piloto migrantes e outros golfinhos são caçados e brutalmente mortos no protetorado Dinamarquês das Ilhas Faroe numa pratica conhecida como o ‘grindadráp’ ou ‘grind’. A prática cruel e sangrenta continua com o apoio do governo Dinamarquês, contrapondo com as obrigações legais internacionais da Dinamarca.

A Operação Bloody Fjords  anuncia uma nova direção para a Sea Shepherd assim que a organização leva sua batalha contra o grindadráp para o coração das Instituições  Dinamarquesas e Faroeses que continua a promover esta prática ultrapassada.

“Obrigado pelo trabalho cansativo de nossos tripulantes voluntários que estiveram em terra nas Ilhas Faroe durante nossas campanhas passadas, nós tivemos todas as evidências em fotos e vídeos e nós precisamos levar esta batalha além das costas sangrentas das Ilhas Faroe”, disse o líder de Campanha da Operação Bloody Fjords , Geert Vons. “Iremos atacar o grind nas arenas judicial e política, no comércio, na indústria e como sempre na mídia,” ele continuou.

A nova estratégia vem em resposta ao aumento às restrições que foram colocadas na entrada dos voluntários da Sea Shepherd nas Ilhas Faroe.

“As autoridades Faroesas recusaram nossa entrada ao país deles numa tentativa de acobertar os horrores do grindadráp.”, disse o Capitão Alex Cornelissen, CEO da Sea Shepherd Global.

“Mas como o campo de batalha muda, nós também mudamos nossas táticas. A Sea Shepherd está mais barulhenta agora, mais forte e mais determinada do que nunca para acabar  com a matança sangrenta,” ele concluiu.

Um total de 28 voluntários da Sea Shepherd foi preso por interferir contra o grindadráp, muitos deles foram subsequentemente deportados pelo “crime” de defesa das baleias-piloto.

Em 2014, a Capitã da Sea Shepherd Treverton foi presa depois que ela defendeu com sucesso um grupo grande de golfinhos da matança, prevenindo-os de chegar nas praias assassinas das Ilhas Faroe. Ela ainda aguarda o seu julgamento.

A Sea Shepherd liderou a oposição ao grindadráp desde os anos 80, salvando as vidas de centenas de baleias-piloto e trazendo a atenção mundial para a matança contínua.

Back to list