Editorial

Sea Shepherd Chile ajuda um filhote de leão-marinho

Comentário de Marco A. García León – Sea Shepherd Chile

08 de abril de 2012: Fortes ondulações em Iquique, no Chile, forçaram um filhote de leão-marinho a separar-se de sua mãe, e o levaram até uma área de pesado tráfego de navios. O filhote de leão-marinho tinha lutado com as ondas violentas, as perigosas hélices dos barcos passantes e detritos espalhados na superfície do oceano em sua luta por alcançar a praia. Exausto e quase se afogando, finalmente alcançou a praia, para ser atacado por cães.

Omar Pardo, proprietário de uma loja local, imediatamente telefonou para a Sea Shepherd Chile. Chegamos prontamente ao local para dar assistência ao aflito filhote de leão-marinho. O pessoal da Marinha gentilmente ofereceu sua ajuda com qualquer coisa que precisássemos. Nós, então, avaliamos o quadro do leão-marinho e ficamos aliviados em confirmar que ele estava bem, apenas cansado e faminto. O próximo passo era mostrar ao filhote que estávamos ali para ajudá-lo. Aos poucos, nos apresentamos a ele, deixando-o aproximar-se de nós em seu próprio tempo.

Com a ajuda e apoio do pessoal da Marinha, levamos o leão-marinho para o centro de resgate da marina da cidade. No veículo, ele olhava de modo calmo em nossos olhos e apoiava-se em nossos braços. Finalmente, ele começou a dormir e percebemos que havia alcançado algum nível de conforto conosco, que ele percebia que queríamos ajudá-lo. Ele pode reconhecer nossas intenções, que eram fazer o melhor que podíamos para protegê-lo de qualquer perigo.

Chegamos ao centro de resgate da marina e tivemos que despertar nosso pequeno amigo. Confiamos ele à equipe de assistência, até que ele pudesse recuperar-se e ser retornado ao seu lar. Esperamos vê-lo novamente nadando no mar e apreciando sua liberdade, sem a ameaça daqueles que o querem permitir a captura e caça de leões-marinhos no Chile.

10 de abril de 2012: Boas notícias! O filhote de leão-marinho foi liberado ontem na praia Papache pelas autoridades. Voluntários Sea Shepherd da cidade de Iquique compareceram ao evento. O leão-marinho recuperou-se completa e alegremente. Nossos voluntários manterão ele sob observação, para monitorar se aparecerá novamente na praia.

Agradecimentos especiais para: Barbara Gajardo, David Gómez, Zico Henríquez e toda a equipe e voluntários da Sea Shepherd Chile.

Os leões-marinhos chilenos estão no centro de um grande debate. Apesar do fato de que os leões-marinhos são protegidos por lei no Chile (atividades de caça e captura são proibidas), existe, atualmente, uma grande discussão no país sobre eles. Há uma séria falta de peixe de norte a sul do Chile, em toda sua costa. Os pescadores culpam os leões-marinhos por isso, mas a verdade óbvia é que o problema não são os leões-marinhos, mas a pesca industrial agressiva e sem sentido e os arrastões que ocorrem em nossos oceanos. Os pescadores culpam os leões-marinhos por destruir e danificar suas redes de pesca. As fazendas de salmão os culpam por destruir seus cercados e comer seus salmões. Ambas as partes estão matando ilegalmente leões-marinhos por essas razões.

A autoridade de pesca chilena já deu uma ordem para caçar 300 leões-marinhos na cidade de Arica, porque “existe um problema de superpopulação, eles estão comendo o peixe e danificando a propriedade das pessoas”. Nenhuma dessas razões é verdadeira. Mas nós nos perguntamos, por que essas mentiras? Por que essas pessoas querem tanto quotas de captura e matança? A resposta é simples: é o dinheiro falando.

Não existe um único estudo que prove que exista superpopulação de leões-marinhos, entretanto, há muitas empresas querendo obter leões-marinhos para serem “palhaços” em seus assim chamados “parques aquáticos”. Também existe um mercado clandestino de venda de genitais de leões-marinhos para países asiáticos apregoando falsas alegações das suas qualidades afrodisíacas.

Os tripulantes da Sea Shepherd Chile já têm investigado e documentado atividades ilegais relacionadas a esse assunto há muitos meses. Durante as próximas semanas, vamos começar a compartilhar todas as nossas informações. Os leões-marinhos estão em grande perigo e precisamos protegê-los, haja o que houver.

Traduzido por Carlinhos Puig, voluntário do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list