Destaque, Notícias

São Paulo e Paraná recebem o curso “metodologias aplicadas ao estudo e conservação de raias e tubarões”

O ISSB realizou nos dias 21 e 22 de Junho em São Paulo, o primeiro curso de metodologias aplicadas ao estudo e conservação de raias e tubarões, na escola de mergulho e também embaixada localizada no bairro Aclimação, Dive for Fun.

Escola de mergulho Dive for Fun, parceira e embaixada do Instituto Sea Shepherd Brasil em São Paulo. Foto: Dive for Fun

O curso, ministrado pelas biólogas e parceiras do Instituto, Bianca Rangel e Natascha Wosnick teve como objetivo trazer ao conhecimento de alunos de Biologia e apaixonados por raias e tubarões, aspectos básicos da biologia destes animais, problemática da pesca predatória e acidental (by catch), metodologias não letais de estudo e conservação, além de oportunidades de estágio no mundo e ações da Sea Shepherd em prol dos tubarões.

Bianca Rangel, falando a respeito de estudos não letais de reprodução em raias e tubarões. Foto: Aline Poscai

Natascha Wosnick, falando a respeito da utilização de ultrassom para estudos pré-natais com raias. Foto: Aline Poscai

A primeira turma contou com a participação de alunos de Biologia e Biologia Marinha, além de apaixonados por tubarões que não trabalham na área. “O foco do curso está em mostrar aos alunos as novas ferramentas de estudo, que não envolvem a morte destes animais, para que assim, possamos capacitar o maior número de estudantes de graduação a se envolverem na área”, diz Bianca. “Criamos este curso também como uma ferramenta para os voluntários da ONG e apaixonados por raias e tubarões, para que tenham conhecimento técnico e científico e assim possam fortalecer ainda mais as ações realizadas pela Sea Shepherd”, diz Natascha.

Turma São Paulo. Foto Raphael Camargo, coordenador núcleo São Paulo.

O curso contou com a participação do embaixador Marcio Lisa, que trouxe aos participantes relatos de sua experiência como mergulhador e fotógrafo de raias e tubarões, além de abordar assuntos como o finning, animais em cativeiro e conservação.

Marcio Lisa, documentarista e embaixador Sea Shepherd Brasil, falando a respeito de mergulhos com raias. Foto: Bianca Rangel

Sibele Mendonça, aluna de doutorado da Universidade Federal Rural de Pernambuco também foi convidada especial da primeira turma, contando sobre sua experiência de trabalho com as raias-manta no Arquipélago São Pedro e São Paulo. Sibele encantou todos com seu trabalho que envolve mergulho em apneia para a marcação e identificação destes animais.

Sibele Mendonça, falando a respeito de seu trabalho de doutorado com marcação e identificação de raias manta no Arquipélago São Pedro e São Paulo. Foto: Bianca Rangel

O feedback dos alunos também foi positivo, “O curso tá show de bola mesmo, tive a oportunidade de participar do primeiro. Fazia tempo que não via um curso com uma proposta tão diferente e com tanto conteúdo de qualidade em nosso meio de estudos”, diz Alexandre Rodrigues. “Curso muito bacana da Bianca Rangel e Natascha Wosnick que atuam na área de conservação e metodologias não letais com elasmobrânquios. Fiz o curso em SP e indico muito, principalmente para graduandos!!!”, diz Aline Nayara Poscai. “Pessoal, vale muito a pena, o curso é sensacional. Participei da turma de SP e foi uma experiência incrível”, diz Vanessa Ferreira. “O que mais gostei do curso foi que, apesar de eu ter feito já vários cursos sobre elasmobrânquios, esse foi o primeiro que teve tanta discussão científica e conteúdos diferentes do que é apresentado normalmente. Contei algumas coisas do curso para meu orientador e ele ficou bem interessado, principalmente nas metodologias não letais, e pediu para eu compartilhar algumas informações com o pessoal do laboratório!”, diz Beatriz D’Angelo

Alunos do curso, durante as discussões a respeito do uso de metodologias letais. Foto: Bianca Rangel

Nos dias 27 e 28 de Junho em Curitiba, foi realizado o segundo curso de metodologias aplicadas ao estudo e conservação de raias e tubarões, na escola de mergulho e também embaixada localizada no bairro São Francisco, SCUBASUL.

Wendell Estol, diretor geral do ISSB em visita à escola de mergulho SCUBASUL, parceira e embaixada do Instituto Sea Shepherd Brasil em Curitiba. Foto: Natascha Wosnick

Bianca Rangel, falando a respeito de estudos não letais de alimentação e migração em raias e tubarões. Foto: Aline Rocha

Natascha Wosnick, falando a respeito das licenças necessárias para trabalhar com raias e tubarões no Brasil. Foto: Aline Rocha

 A segunda turma contou com a participação de alunos de Biologia e Gestão Ambiental, além de uma mergulhadora de 14 anos apaixonada por tubarões. “O foco do curso em Curitiba foi diferente do ministrado em São Paulo, visto que os alunos de graduação de Biologia ainda não trabalham na área. Assim nosso enfoque foi em discutir todas as possibilidades ainda não exploradas de estudo no estado” diz Bianca. “Tivemos duas participações inesperadas e especiais nesta turma: uma mergulhadora de 14 anos que apesar de ainda estar na escola pediu para a mãe para participar do nosso curso, pois pretende trabalhar com estes animais e também a participação de um aluno de Gestão Ambiental, que irá realizar seu trabalho de conclusão de curso através da produção de um documentário a respeito da ausência de ataques em nosso estado. Ele se inscreveu no curso pois precisava entender aspectos básicos da biologia de raias e tubarões, para assim possuir uma base científica sólida para a produção de seu material de divulgação”, diz Natascha.

Turma Curitiba. Foto Aline Rocha

Victor Eduardo Pauliv, formando pela Universidade Federal do Paraná e atualmente aluno de doutorado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul foi o convidado especial da segunda turma, contando sobre sua experiência de trabalho na área de Paleontologia, estudando fósseis de tubarões do Paleozóico encontrados no Paraná.

Victor Eduardo Pauliv, falando sobre seu trabalho com fósseis de tubarões encontrados no estado do Paraná. Foto: Aline Rocha

O feedback dos alunos também foi positivo, “Olha como as coisas são né, eu finalizando a graduação e querendo começar novo projeto de monografia e essas meninas lindas fazem esse curso maravilhoso bem quando eu mais preciso! Curso mais completo que já tive a oportunidade de presenciar. Quem não foi vacilou feio!! Agora só ano que vem!” diz Aline Rocha. “Foi maravilhoso, valeu cada momento” diz Isis Daniele. Otto Gadig, Ana Rita Onodera Palmeira e Andrey Castro, importantes pesquisadores da área recomendaram o curso nas redes sociais.

Alunos do curso, durante as discussões a respeito do uso de metodologias letais. Foto: Aline Rocha

O próximo curso acontecerá em São Francisco do Sul, SC, nos dias 01 e 02 de Agosto, com apoio do núcleo Santa Catarina.

Para mais informações e inscrição, acesse: Curso: Metodologias aplicadas ao estudo e conservação de tubarões e raias em SC

Back to list