Notícias

Outro navio de pesca de tubarão é apreendido em Galápagos

Inspetores puxam os tubarões mortos do porão do navio. Foto: Tim Watters

Inspetores puxam os tubarões mortos do porão do navio. Foto: Tim Watters

Galápagos não estava totalmente recuperada de um dos maiores casos de caça ilegal de tubarões, que ocorreu em julho deste ano, quando outro navio foi pego no interior da Reserva Marinha de Galápagos, na semana passada. A Marinha do Equador apreendeu o Reina del Cisne, um navio de pesca industrial que partiu de Manta, em 16 de setembro de 2011. A Marinha encontrou o navio de pesca industrial seis milhas náuticas dentro da Reserva Marinha de Galápagos.

O Reina del Cisne, juntamente com dois barcos pequenos, foi equipado com espinhel, um método de pesca proibido pelos regulamentos de Galápagos. Após a inspeção da nave-mãe, dezenas de tubarões mortos foram encontrados em seus porões. A Marinha mandou o navio à Ilha de San Cristobal para uma inspecção mais aprofundada, onde foi detido enquanto se aguarda a investigação em curso. Os 12 tripulantes foram todos colocados em prisão.

Diretor de Operações da SSCS Galápagos, Alex Cornelissen, mostra uma barbatana de tubarão-raposa. Foto: Tim Watters

Diretor de Operações da SSCS Galápagos, Alex Cornelissen, mostra uma barbatana de tubarão-raposa. Foto: Tim Watters

A Sea Shepherd Galápagos participou como observadora oficial na inspecção do navio, que ocorreu em 20 de setembro. Nós testemunhamos os efeitos devastadores da pesca de tubarão, quando o convés do Reina del Cisne foi lentamente preenchido com um tubarão morto após o outro. O número final de vítimas foi de 81, incluindo 69  tubarões-raposa, 11 tubarões-azuis, e um tubarão-silky. Alguns destes tubarões tinham apenas alguns meses de idade, uma visão verdadeiramente triste. Os tubarões-raposa são valorizados por suas nadadeiras longas, que, infelizmente, valem um monte de dinheiro no mercado asiático. Os tubarões-raposa também são conhecidos por ter ninhadas pequenas, de 2 a 4 tubarões por gestação. Esta baixa taxa de reprodução combinada com o excesso de pesca extensiva de suas barbatanas resultou no tubarão-raposa (Alopias vulpinus) sendo listado como vulnerável à extinção pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

A Sea Shepherd é grata por ter sido dada a oportunidade de participar nesta inspeção. Ficamos impressionados com a eficiência e a excelente cooperação entre as várias organizações governamentais envolvidas neste caso. Um documento legal de registro da inspeção será assinado na próxima semana por todos os participantes, incluindo o nosso Diretor de Operações, formalizando o status da Sea Shepherd de observadora da inspecção. O Serviço Nacional do Parque de Galápagos, a Marinha do Equador, a Polícia Nacional do Equador, o setor de ciência representado por Gaias, e, claro, o Procurador Ambiental, todos merecem um grande elogio pelo seu papel no recolhimento de provas neste caso.

Tubarões a bordo do navio de pesca de tubarão. Foto: Tim Watters

Tubarões a bordo do navio de pesca de tubarão. Foto: Tim Watters

Esperamos que não haja mais casos este ano de embarcações industriais que entram na Reserva Marinha de Galápagos sem autorização. Mas se o fizerem, nós sabemos que as agências policiais de Galápagos estão fazendo um ótimo trabalho.

Quanto à resposta judicial a este caso, exigimos que os juízes locais percebam que estão fazendo justiça em uma área protegida nacionalmente, e um patrimônio mundial natural, onde os tubarões são protegidos. No entanto, vamos continuar a acompanhar este caso judicial para defender a boa aplicação da Constituição equatoriana, a Convenção sobre o Patrimônio Mundial Natural, o regime jurídico especial de Galápagos, e o Código Penal do Equador.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do ISSB.

Back to list