Notícias

Operação do Ibama contra pesca ilegal apreende rede na Lagoa Jacuném

A Operação Impacto Profundo iniciada há três dias para fiscalizar o período de defeso do robalo e a pesca predatória já encontrou diversas irregularidades por onde passou. Organizada pelo Ibama, com o apoio do Iema, da Polícia Ambiental e das Secretarias Municpais de Meio Ambiente, já foram resgatados 130 quilos de lagosta e redes caçoeira de até 4.900 metros. Nesta sexta (27), foi a vez da Lagoa Jacuném receber a Operação.

De acordo com a assessoria do Ibama, o objetivo da operação é apreender redes que são utilizadas para impedir a passagem dos peixes dentro de lagoas e rios. Isso porque com a utilização ilegal desse tipo de equipamento, não há controle sobre o tamanho e os tipo de peixes e vidas marinhas que são mortas no arrasto.

Nos últimos anos, a lagoa Jacuném vem sofrendo danos ambientais graves. Tanto que, no mês de abril, centenas de peixes foram encontrados mortos boiando pela manhã. De acordo com o Ibama, o motivo para este fenômeno ainda não foi descoberto, mas está sendo estudado pelos técnicos do órgão competente.

Na fiscalização desta sexta, a equipe encontrou redes que iam de um lado ao outro na Lagoa Jacunem, impedindo a passagem dos pequenos animais marinhos. A rede foi retirada e os animais que estavam abaixo do tamanho permitido para pesca foram devolvidos ainda vivos para o seu habitat natural.

Além das fiscalizações, a operação aposta na conscientização dos pescadores e da população ribeirinha. Para isso são distribuídos panfletos que buscam esclarecer os impactos que a pesca ilegal traz para o meio ambiente.

A estimativa é de que a operação se estenda até o mês de setembro. Durante os três meses, a equipe percorrerá todo o litoral capixaba.

Fonte: Jornal ES Hoje

Back to list

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.