Destaque, Notícias

Guardiões mirins da Sea Shepherd Brasil fazem homenagem às baleias

Por Rodrigo Marques, Coordenador do Núcleo RS do ISSB
A temporada de caça na Antártica acabou e a Operação Sea Piedade da Sea Shepherd garantiu a sobrevivência de centenas de baleias no oceano austral.

Enquanto a Sea Shepherd lutava para proteger as baleias, um grupo de pequenos guardiões estava preparando uma homenagem para esses animais perseguidos e mortos de forma covarde e sem um mínimo de compaixão. Durante o projeto EducaMar em aÇão na Bahia, desenvolvido pelo Instituto Sea Shepherd Brasil no mês de janeiro, os jovens defensores do mar foram treinados para identificar barcos de pesca ilegais utilizando equipamentos de campo, aprenderam sobre a dinâmica do ecossistema marinho e , principalmente, a importância de cada espécie para que a possamos ter um oceano equilibrado e saudável. Para finalizar o treinamento e receber os certificados de Guardiões Mirins eles precisavam realizar uma limpeza de praia e desenvolver alguma arte com os resíduos coletados.

Treinamento Guardiões Mirins. Foto: Leonardo Diaz

Treinamento Guardiões Mirins. Foto: ISSB

Pelo fato de o projeto estar sendo desenvolvido na mesma época que a temporada de caça as baleias na Antártica, a melhor opção foi utilizar os resíduos coletados na criação de uma baleia e assim chamar a atenção dos turistas para a questão da matança de cetáceos no mundo e os esforços da Sea Shepherd em defender esses animais.  A baleia ficou exposta durante toda a temporada de verão em frente à Escola de mergulho 13 Sul, uma das Embaixadas da Sea Shepherd no Brasil.

Construção da baleia. Foto: Leonardo Diaz

Construção da baleia. Foto: Leonardo Diaz

Um fato triste é que com apenas quinze minutos de limpeza de praia foi possível criar essa enorme baleia com os resíduos retirados da areia. Isso chamou a atenção para o problema que as nossas praias enfrentam com a falta de conscientização. É lamentável que as pessoas não percebam o quanto é prejudicial para a saúde de um ecossistema aquela garrafa, sacola plástica e tantos outros resíduos descartados indevidamente.

Resultado final. Foto: Rodrigo Marques

A boa notícia é que diversas pessoas paravam para ver e fotografar a baleia e sentiam um grande impacto ao ver a quantidade de lixo utilizado na montagem. Alguns não acreditavam que foram apenas poucos minutos para retirar tanto lixo da praia. A baleia serviu, no final, para conscientizar e expor essa realidade absurda do litoral brasileiro.
A meta agora é treinar um maior número de jovens e crianças e fazer com que cada um deles seja um futuro defensor do mar.

DEFENDENDO – PROTEGENDO – CONSERVANDO.

O futuro dos oceanos está nas mãos destes pequenos Guardiões. Foto: Rodrigo Marques

O Instituto Sea Shepherd Brasil agradece o apoio da Escola de mergulho 13 Sul e da Associação de Esporte, Cultura e Meio Ambiente de Barra Grande – Aquerê Mata-riá.

Back to list