Notícias

Baleeiros defendem violentamente suas operações ilegais

O clima está piorando e a frota japonesa continua fugindo para oeste à velocidade máxima. O Steve Irwin utilizou dois barcos infláveis e um helicóptero para assediar a frota baleeira. A estratégia da Sea Shepherd é mantê-los em movimento. Enquanto estão fugindo não estão matando baleias.

Um membro da tripulação do Steve Irwin ficou levemente ferido ontem depois de ser atingido por um canhão d’água de alta pressão disparado do navio-fábrica dos japoneses. Um dos cinegrafistas que estava num dos botes infláveis, teve um corte no supercílio ao ser derrubado pelo jato d’água enquanto filmava.

Um segundo tripulante também foi ferido no confronto. Laurens De Groot da Holanda ficou levemente ferido quando foi atingido no rosto por uma bola de metal atirada pelos baleeiros a bordo do Yushin Maru #3, que também jogaram bolas de latão e chumbo nos tripulantes em um dos barcos infláveis do Steve Irwin.

O navio-fábrica Nisshin Maru, e as duas baleeiras da frota estão equipados com dispositivos acústicos Long Range (LRAD). Esta é uma arma militar que envia ondas sonoras de alta freqüência concebidas para desorientar e eventualmente incapacitar.

As ondas sonoras provocam desorientação e náusea.

A utilização de sistemas de armas militares na zona do Tratado da Antártida é uma violação de leis internacionais. Os baleeiros estão se tornando cada vez mais violentos na defesa das suas atividades ilegais.

“É uma cena dramática aqui no navio. Se fôssemos fazer qualquer das coisas que esses bandidos estão fazendo, nós seríamos denunciados como eco-terroristas. São dois pesos e duas medidas, esses assassinos de baleias podem utilizar a violência, sem medo de condenação de seu governo. Nós nem sequer podemos nos defender sem que nossos governos nos condenem. O que é importante porém, é que apesar da violência deles contra nós, as baleias não estão sendo mortas . Eles não podem ficar longe de nós, vamos nos manter no seu encalço.” Declaração do Capitão Paul Watson após os recentes e graves acontecimentos.

Back to list