Notícias

Vitória para as focas na Europa

A União Européia entregou uma impactante mensagem de perdão para a mundialmente perseguida população de focas. A Comissão Européia adotou uma proposta de banir a importação pelos paises-membros da União Européia de todos os produtos oriundos das focas monstruosamente assassinadas.

“Depois de mais de quatro décadas combatendo esse brutal, selvagem e extremamente cruel abate de focas na costa leste do Canadá, uma vitória inacreditável foi alcançada com a intenção de banir as peles nos mercados europeus”, disse o Capitão Paul Watson. “Isso significará que produtos derivados de focas não poderão passar para a Ásia através dos portos europeus e, uma vez que a Europa dita a moda mundial, o que não é moda em Paris e Roma não será mais moda na China ou Japão”.

O Comissário da Diretoria Geral de Meio Ambiente da União Européia, Stavros Dimas, disse aos repórteres: “Produtos derivados de focas vindos de países que praticam a caça utilizando-se de meios cruéis não terão entrada permitida na União Européia. A União Européia está comprometida na defesa dos elevados padrões visando o bem-estar animal”.

A proposta da União Européia diz que o mercado de produtos derivados de focas deve ser permitido aos países que possam oferecer garantias que suas técnicas de caça são “de acordo com os altos padrões para o bem-estar animal” e que os animais são abatidos rapidamente e sem sofrimento.

Isenções especiais serão concedidas à comunidade Inuit do Ártico canadense.

A proibição recomenda que os países que exportam produtos derivados de focas providenciem um certificado e rótulos deixando claro que o comércio é realizado de acordo com as rigorosas condições da União Européia.

O Canadá pode insistir dizendo que o abate das focas é “humanitário” mas as evidências demonstram que é um ato excepcionalmente cruel. A única maneira de uma pele de foca ser vendida na Europa agora é com a morte de cada foca documentada em vídeo e a pele marcada correspondendo ao vídeo. Se os caçadores canadenses estão sendo efetivamente forçados a tentar matar humanamente as focas, não terão tempo para isso pois precisa-se de tempo e perfeitas condições para abater um animal sobre o gelo móvel e em condições climáticas hostis.

A União Européia se viu forçada a ordenar a proibição como fizeram para evitar retaliações comerciais do Canadá. O Canadá poderia ter imposto restrições comerciais para a proibição absoluta mas será difícil contradizer a formulação proposta que especifica a proibição de produtos obtidos de forma desumana.

“O que o Canadá pretende fazer?”, perguntou o Capitão Paul Watson. “O Ministro da Pesca, Loyola Hearn, não pode dizer com certeza que somos contra os produtos derivados da crueldade com as focas. Ele pode continuar a insistir que o abate das focas está bem controlado e é humano, mas agora ele só tem que provar isso e, francamente, não há maneira de demonstrar que o abate de filhotes de focas seja humano”. Se o abate das focas continuar, será como glorificar um projeto para manutenção de tradições bárbaras na frente de uma sociedade civilizada.

“Enquanto os caçadores de focas continuarem a ir ao gelo para matar focas por qualquer razão, serão monitorados e perseguidos”, disse o Capitão Watson. “Crueldade e a redução da biodiversidade marinha não serão toleradas por qualquer razão, sejam elas econômicas ou culturais. A proposta é a linha final para um dos mais obscenos e desprezíveis massacres no planeta.

Se o Canadá não entrar voluntariamente no século XXI, nós continuaremos a chutar o traseiro do governo bárbaro até que façam isso.

Capitão Paul Watson é um canadense nascido em uma comunidade pesqueira da costa leste do Canadá e se opõe ao massacre das focas desde que era um menino de 10 anos.

“Depois de 48 anos suportando a vergonha e humilhação de ser canadense em razão desse show anual de horror, eu recebo essa decisão européia com grande alegria”, disse ele.

Os preços das peles de focas caíram dramaticamente desde que a União Européia iniciou as propostas para banir os produtos derivados de focas. A decisão de banir também trará impactos aos importadores de produtos oriundos de focas da África meridional e da Rússia.

Em abril, o Farley Mowat, navio da Sea Shepherd registrado com a bandeira holandesa, foi interceptado sob a mira de armas em águas internacionais, na tentativa de evitar o registro da crueldade no gelo. Vídeos e fotos do abate das focas foram apreendidos pela polícia canadense.

O Capitão Alex Cornelissen, da Holanda e o primeiro-oficial sueco, Peter Hammarstedt, foram presos e acusados de aproximarem-se demais do abate das focas. Eles serão julgados por esse “crime” em abril de 2009. Enquanto isso, o Farley Mowat encontra-se retido pelas autoridades canadenses até que o caso seja resolvido.

“Se a caça às focas é humana como o Estado insiste, então, por que as medidas extremas para confiscar evidências que não é e por que é ilegal no Canadá documentar a matança de uma foca sem a supervisão do governo?”, perguntou o Capitão Cornelissen.

“Nós tiramos fotos das focas sendo massacradas”, disse Peter Hammarstedt. “E, ainda por cima, o governo nos trata como se fossemos terroristas armados. Talvez eles tenham finalmente entendido que a câmera é uma arma mais potente que uma pistola e que a verdade é mais ameaçadora que suas mentiras. Nós lutaremos com eles no gelo. Nós lutaremos com eles nos tribunais. Nós lutaremos com eles nos mercados, mas nós nunca nos entregaremos à essa selvageria e à destruição das espécies da vida marinha silvestre.”

Back to list