Na mídia

Para ativista, Rio +20 fracassou na proteção do meio ambiente aquático

Diretor geral do Instituto Sea Shepherd Brasil, Wendell Estol, critica documento final da conferência

De O Reporter

BRASÍLIA (Agência Senado) – A Rio + 20 fracassou na questão dos oceanos. Essa é a opinião do diretor geral do Instituto Sea Shepherd Brasil (Instituto Guardiões do Mar), Wendell Estol, sobre os resultados da conferência, realizada em junho deste ano, no Rio de Janeiro, no que diz respeito à proteção à fauna marinha e do meio ambiente aquático.

Ele participa da audiência pública que debate a defesa do ecossistema após a conferência Rio + 20, e a perspectiva do desenvolvimento sustentável no planeta. A reunião é promovida pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

– Não houve avanço nenhum, deixaram para 2015 a discussão sobre os oceanos, que estão sendo controlados por máfias. Não é uma questão de desenvolvimento sustentável, não é um grupo de interesse brasileiro, mas do mundo, e o ambiente marinho não está aguentando mais isso – afirmou Estol.

Para ele, as discussões sobre áreas de preservação no ambiente aquático foram superficiais e faltou objetivo ao texto final.

– Temos hoje 8% do nosso estoque pesqueiro original, não se tem mais espaço para reserva extrativista. Em 2015 e 2020 quando tiver as unidades de preservação não vai ter o que preservar – criticou Wendell Estol.

Back to list