Alemão é preso em Taiji

Expectativa é que seja mantido preso por 48 horas

Nils Greskewitz. Foto de arquivo

08 de outubro de 2012 – Taiji, Japão – A polícia de Taiji, no Japão, prendeu um alemão de 26 anos, Nils Greskewitz, nesta segunda-feira, 8 de outubro de 2012. Nils estava subindo em uma estátua de um arpoador, no Parque do Museu da Baleia, em Taiji. Ele não tinha intenção de causar qualquer dano, mas a estátua foi danificada por sua ação.

A polícia afirmou que Nils Greskewitz ficará detido por pelo menos mais 48 horas, enquanto eles continuam investigando o assunto e os procuradores decidem os custos a serem pagos, se houver. Sob a lei japonesa, um indivíduo pode ser mantido por até 23 dias sem fiança.

Nils Greskewitz foi para Taiji participar da campanha Guardiões da Enseada, da Sea Shepherd Conservation Society, contra a matança de golfinhos na enseada. A Sea Shepherd está empenhada em ver o fim da matança, mas prometeu às autoridades locais que seus voluntários não violariam propositadamente as leis japonesas.

“A Sea Shepherd Conservation Society não tolera danos materiais em Taiji, no Japão ou em qualquer lugar”, disse o fundador da organização e presidente, o Capitão Paul Watson. “As orientações para os Guardiões da Enseada são claras. Todas as atividades devem estar dentro dos limites da lei japonesa. Este foi o acordo que fizemos com o Japão em 2003, e nós estamos por este acordo”, disse ele.

Nils Greskewitz estava agindo por sua conta ao escalar esta estátua, e não estava realizando quaisquer atividades de campanha relacionadas a isso. Porque Nils Greskewitz agiu por conta própria e causou esse dano não intencional, a Sea Shepherd retirou-o da campanha, e não vai cobrir qualquer restituição ou despesas legais de Nils Greskewitz que possam incorrer.

A Sea Shepherd Conservation Society lamenta que a estátua foi quebrada por um voluntário dos Guardiões da Enseada, e tem tomado medidas para demitir o responsável do programa Guardiões da Enseada.

A Sea Shepherd vai prestar assistência jurídica a qualquer Guardião que for preso sem motivo, como fizemos com Erwin Vermeulen no ano passado, quando a polícia tentou enquadrá-lo sob a acusação de assalto. Ele foi absolvido dessa acusação pelos tribunais japoneses.

Embora sejamos simpáticos à situação que Nils Greskewitz se colocou, a Sea Shepherd tornou muito claro para todos os voluntários que a sociedade não pode e não vai apoiar atividades ilegais no Japão, mesmo quando acidental.

“Os Guardiões da Enseada da Sea Shepherd continuam chamando uma atenção internacional para as atrocidades que ocorrem em Taiji”, disse Melissa Sehgal, Líder dos Guardiões da Enseada. “Nós somos voluntários em terra para documentar e expor a horrível matança de golfinhos, mas vamos continuar respeitando a lei japonesa. A barbárie em Taiji traz desonra para a nação do Japão”, acrescentou Melissa Sehgal.

O consulado alemão foi notificado da prisão. A Sea Shepherd não espera ter atualizações sobre este assunto por pelo menos mais 48 horas, e é incapaz de comentar mais neste momento.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil