SALVE MAR

Campanha de monitoramento de recifes de coral em Pernambuco
da Sea Shepherd Brasil e Coletivo Salve Maracaípe

Os recifes de coral formam a maior estrutura viva, animal, do planeta. Além de ser o mais importante ecossistema marinho. De cada quatro peixes, três dependem dos corais para sua sobrevivência.

Além disso, contribuem para três metas de alta prioridade dos países em desenvolvimento: a geração de renda, emprego e ganhos em moeda estrangeira. Segundo Spalding et al., (2017), o turismo em recifes de coral gera US$ 36 bilhões (U.S) em valor global a cada ano. No litoral sul do Estado de Pernambuco, o grande atrativo do turismo são as piscinas naturais formadas pelos recifes de coral e toda a sua biodiversidade. Apenas em Porto de Galinhas, Ipojuca, circulam por ano cerca de 1,6 milhão de turistas.

No entanto, os recifes de coral são ecossistemas sensíveis e extremamente vulneráveis, essas condições têm levado espécies de corais a grande risco de extinção, alguns dos principais fatores são: acidificação oceânica (mudança na temperatura média e do pH dos oceanos, causada pelo aquecimento global), ações antrópicas como pisoteio, pesca predatória, poluição, sedimentação, entre outros fatores.

A Sea Shepherd Brasil e o Coletivo Salve Maracaípe trabalham juntos desde o terrível vazamento de petróleo cru que afetou o Nordeste brasileiro.

Desde então, estamos monitorando os recifes de coral de Pernambuco com objetivo de avaliar a saúde dos corais, proporcionar a sua recuperação e expansão.

A campanha Salve Mar visa preservar e recuperar o sistema recifal de Porto de Galinhas e consequentemente todas espécies marinhas que dependem dele.

Com apoio do Estado de Pernambuco, Sea Shepherd Brasil e Movimento Salve Maracaípe têm acesso exclusivo às praias para um monitoramento científico sem precedentes que revela uma diversidade marinha em rápido desaparecimento.

Neste contexto, desde novembro de 2019, estamos fazendo monitoramentos dos recifes de coral no Estado de Pernambuco, com foco na bancada de corais de Porto de Galinhas.

Algumas espécies endêmicas como coral-cérebro (Mussismilia harttii) e coral-de-fogo (Millepora Alcicornis) encontram-se em avançado processo de extinção e, por serem construtoras (corais hermatípicos) considera-se de extrema importância seu monitoramento a curto, médio e longo prazo, para que os agentes estressantes possam ser identificados, em diferentes níveis de escala, e para subsidiar medidas técnicas científicas para mitigar os impactos.

 

Na região costeira, onde os trabalhos estão sendo realizados no momento, o objetivo geral consiste em avaliar a saúde dos corais, proporcionar a sua recuperação e expansão.

Objetivos específicos:

    1. Identificar e mapear as bancadas de recifes de coral do litoral do município de Ipojuca;
    2.  Mapear a distribuição das principais espécies de corais (espécies indicadoras);
    3.  Avaliar o estado de conservação dos corais;
    4. Identificar os principais impactos que sofrem os ambientes recifais;
    5. Elaborar um plano de uso sustentável dos ambientes recifais;
    6. Promover a educação ambiental;
    7. Investigar a presença de petróleo nos ambientes recifais (devido ao episódio do vazamento que ocorreu no segundo semestre de 2019, que se confirmou como o maior desastre ambiental do litoral nordestino).

O Vídeo mostra o branqueamento acelerado de corais na bancada de Porto de Galinhas.

O branqueamento de corais é um fenômeno ecológico grave relacionado principalmente com o aumento da temperatura da água dos oceanos. Esse problema pode ocorrer de forma transitória ou de forma fatal, matando o coral.

O branqueamento ocorre quando algum estresse faz o coral expulsar as algas
microscópicas que vivem dentro de seu tecido. Essas algas são a principal fonte de
alimento do coral e lhe dão cor.

O aquecimento global é um processo que se caracteriza pelo aumento da temperatura média do planeta, inclusive dos oceanos.   O branqueamento de corais ao redor do planeta possui relação direta com o aumento da temperatura da água dos oceanos e, portanto, apresenta relação também com o aquecimento global.

A importância dos recifes de coral consiste no fato de que estes ambientes dão suporte e abrigo a uma variedade de comunidades marinhas, muitas delas de interesse econômico direto, como os peixes, os polvos, as lagostas, os camarões, as algas, entre outros, servindo de habitat para mais de 25% de toda vida marinha.

Notícias da Campanha Salve Mar

Proteção dos Arrecifes de Pernambuco.

Um ano depois de tragédia, óleo ainda tem impacto grave no litoral do Nordeste

Há exatamente 1 ano, a notícia do maior derramamento de óleo na história do país chocava os brasileiros. Passados 12

AMBIENTALISTAS REVELAM UM OCEANO QUE IMPLORA POR AJUDA NAS PRAIAS DO NORDESTE

Com apoio do Estado de Pernambuco, Sea Shepherd Brasil e Movimento Salve Maracaípe têm acesso exclusivo às praias para um

Envolva-se!

Ajude-nos a Proteger os Oceanos e a Vida Marinha !