Diário de Bordo:

Expedição Ondas Limpas na Estrada

Onde está o ônibus agora?

13 de Setembro: Maricá - RJ - 95 limpezas concluídas - 31% - 2116 km percorridos - 452 kg de lixo recolhido

13 de Setembro - Capitã Mara Oliveira

Estamos na 95ª praia no Rio de Janeiro e avançando, passando de 31% da expedição! Esta próxima semana será de mutirão de limpeza no Rio de Janeiro e em breve seguiremos para a Região dos Lagos, a partir de Maricá. O campo de hoje foi em Itaipuaçu e foi uma agradável surpresa conhecer esta praia tão diferente de todas que já havíamos  pesquisado. A areia da praia era espetacular, de quartzos transparentes.

12 de Setembro - Capitã Mara Oliveira

Hoje foi folga da tripulação. O clima continua frio e com ventos, mas apesar do mau tempo, parte da tripulação foi conhecer os arredores enquanto outros relaxavam ou preparavam o trabalho dos próximos dias. A equipe saiu para caminhar, nada melhor do que começar o dia praticando exercícios! Então o dia foi de trilha até o topo do Morro da Tiririca para apreciar do alto as praias abaixo e ainda fazer registros espetaculares de toda a região.

11 de Setembro - Capitã Mara Oliveira

Estamos em Maricá ao lado de Niterói para o campo em Itaipuaçú. O local em que estamos instalados se deu pela proximidade da pesquisa, melhores condições de instalação e falta de opções baratas na cidade maravilhosa que estava com eventos grandes de público. Comecei o dia com a reunião matinal planejando os dias que se seguem. A equipe seguiu para o campo apesar do mau tempo. Na praia de Itaipuaçu não houve condições de pesquisa pelo mar revolto e sem condições de peneirar a areia para retirada do micro plástico. Consultamos o time de ciência para ver outras alternativas, se fazíamos metade da pesquisa ou se voltaríamos em um novo dia. O campo foi transferido para dias à frente para aguardar a melhora das condições climáticas e de pesquisa. Enquanto isso trabalhamos internamente nas planilhas da pesquisa e relatórios.

10 de Setembro - Capitã Mara Oliveira

Nos despedimos do Capitão Caio e voltei a assumir a expedição pelos próximos 3 meses. O time segue para praia Charitas para pesquisa de campo que foi concluída com sucesso. Esta é a primeira vez que o motorista Henrique ajuda na expedição científica. No final da tarde fizemos uma reunião para acertar as atividades que acontecerão no Dia Mundial da Limpeza e a nossa participação na praia de Ipanema dia 16 com Odontoprev e Marina da Glória dia 17 com tour no Guardião.

9 de Setembro - Capitã Mara Oliveira

Dia de troca de equipe, mas desta vez foi a troca de capitães da expedição. Cheguei em Botafogo bem cedinho para ingressar novamente à operação substituindo o capitão Caio. Assim, com todos reunidos, a equipe tomou um delicioso café da manhã vegano para transição dos capitães e alinhamento dos acontecimentos. Após a reunião, dividimos o grupo em 2 para dar seguimento às tarefas do dia. Eu, Caio e Henrique (motorista) seguimos para a oficina para dar continuidade na  manutenção do ônibus enquanto o restante da equipe seguiu para Maricá. No final do dia todos estavam muito bem instalados em uma casa de locação muito confortável em Maricá. Com muito entrosamento lanchamos pastel de proteína de soja com queijo vegano que o Henrique motorista e o chef Felipe fizeram. Hmmm que delícia!

8 de Setembro - Capitão Caio Rodriguez

Tínhamos o dia planejado para adiantar uma praia, iríamos realizar a pesquisa pela manhã em Itacoatiara e depois do almoço na praia Charitas. Felipe nos preparou um lanche reforçado para o decorrer do dia, e logo após a reunião terminamos nossa rotina diária de limpeza e partimos rumo a Itacoatiara. Ali fomos bem recebidos pelos salva vidas que já conheciam sobre a expedição, e depois de conversar um pouco sobre a região começamos a pesquisa. Ao final da pesquisa decidimos então voltar ao Rio de Janeiro e deixar Charitas para o dia seguinte. Na volta encontramos Felipe e Henrique que haviam ficado no Rio de Janeiro para descartar nossos resíduos em uma cooperativa local. A cidade do Rio de Janeiro estava muito cheia por conta de todos os eventos que estavam sendo realizados naquela semana, o que nos dificultava encontrar um local para nos hospedar, por sorte encontramos uma casa muito agradável e próxima dos campos que viriam nos dias seguintes. Já estava na expectativa de reencontrar nossa Capitã Mara, se passava um mês desde que nos despedimos em Bertioga, estávamos todos animados para recebê-la. Felipe preparou a receita tradicional da expedição – o Borrifos Bread – para o café da manhã do dia seguinte.

7 de Setembro - Capitão Caio Rodriguez

Depois de dias cheios de desafios tivemos uma merecida folga, tomamos café da manhã juntos, enquanto cada um decidia o que gostaria de fazer no decorrer do dia. Sergio, Nikole e Kelen foram visitar o Museu do Amanhã, enquanto Felipe e Henrique ficaram descansando no Hostel. Eu aproveitei para caminhar um pouco pelo Rio de Janeiro, que estava bem agitado por conta do desfile de 7 de Setembro, caminhei até Ipanema e na volta ao hostel nos reencontramos todos e comemos uma lasanha muito gostosa que Felipe havia deixado preparada no dia anterior. Ficamos todos por ali mesmo após o almoço, e no final de tarde recebemos a visita da Lays, coordenadora do Rio de Janeiro, fomos a uma sorveteria vegana que havia ali perto e passamos o final do dia conversando.

27 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

Nos dias de folga sempre relaxamos um pouco mais com a rotina do Guardião e já no café conversamos sobre como iríamos aproveitar o dia. Já chegava perto do dia do desembarque do nosso motorista Jota, ele junto ao Sérgio, Nikole e Kelen decidiram fazer um passeio turístico pelas ilhas da região. Felipe que mora em Paraty, aproveitou para ir até sua casa, e eu acabei indo visitar alguns lugares que marcaram minha adolescência. No final do dia fui feliz ver um lindo pôr do sol no pé do forte, com direito a uma série de tartarugas se alimentando por ali. Na volta ao Guardião, ainda tive a oportunidade de conhecer Nadaleto, um artista incrível da região, apoiador de muitos anos da Sea Shepherd. Passamos algum tempo ali conversando em seu estúdio, até que retornei ao guardião para organizar nosso campo do dia seguinte.

26 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

Deixamos o camping originalmente para realizar a pesquisa na Praia da Barra Grande, mas tivemos de partir para a praia que seria a seguinte, Praia de São Gonçalo. Ao chegar ali, fomos bem recepcionados pelos comerciantes locais que nos permitiram ficar com o Guardião em seu estacionamento. Almoçamos por ali mesmo após o término da pesquisa, e partimos o quanto antes para uma visita na escola da Mangueira em Paraty. Recebemos a visita de cerca de 80 crianças da escola e seus professores, todos estavam bem animados com nossa chegada, e nós estávamos muito contentes de poder interagir com as crianças. Ficamos por ali por cerca de 3 horas e só terminamos por conta do horário de saída das crianças. De volta ao camping encontramos um barco para nos levar até a praia da Barra Grande no domingo, decidimos então trocar nosso dia de folga para o dia seguinte, sábado, e no domingo realizar a pesquisa no local que não conseguimos o acesso por terra.

25 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

Fomos a pé até a praia do Pontal e deixamos o guardião no camping. Estávamos muito próximos da praia, então colocamos todo nosso material nas nossas mochilas e fomos curtindo o centro histórico de Paraty. Chegamos na praia e nos deparamos com a maré muito baixa o que nos impossibilitou de buscar água, por sorte nos deixaram usar água dos quiosques na região. Ali conhecemos alguns moradores locais que se mostraram bastante curiosos com a pesquisa, conversamos com eles e eles também nos contaram sobre como os locais se organizam para recolher o lixo que chegam às praias. Na volta da pesquisa almoçamos e aproveitamos a parada em Paraty para ir à lavanderia e ir ao mercado abastecer os suprimentos, enquanto Jota dava um merecido banho no Guardião e limpava seus painéis solares.

24 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

Deixamos nossa última parada no estado de São Paulo e seguimos em frente para começar esse novo capítulo da expedição no Rio de Janeiro. Cruzamos a fronteira de estados ao som da nossa playlist, e aproveitamos para abastecer o Guardião perto da entrada de Trindade. Deixamos o Guardião em um estacionamento sob os cuidados do nosso motorista Jota e descemos até a cidade em uma van de transporte local. Nos levou um tempo até encontrarmos um ponto ideal para a realização da pesquisa na Praia de Fora. Estávamos quase que escondidos em meio as grandes rochas presentes na praia. Na volta encontramos Jota e decidimos aguentar um pouco mais a fome e partir para preparar nosso jantar em Paraty, onde ficaremos por alguns dias.

23 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

O dia estava ensolarado quando deixamos o camping rumo a Praia da Fazenda. Ficamos todos encantados com a beleza daquela região, então para tirar fotos do Guardião próximo ao mar. Na chegada da praia preparamos todo nosso material e tomamos bastante água, já que estava muito calor. Logo após o término da pesquisa voltamos para nosso camping e fizemos uma última vistoria em todo Guardião para entrarmos no Rio de Janeiro com segurança no dia seguinte, aproveitamos para colocar tudo em ordem e deixamos tudo pronto para seguir a expedição.

22 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

Deixamos o camping cedo rumo à próxima praia. Já era quase meio dia, então decidimos parar em um posto na estrada para almoçar antes de chegar em Ubatumirim. Queria muito chegar cedo ali, estava receoso de fazer novamente a pesquisa durante a tarde e estendermos a ponto do sol baixar e ter que terminar com pouca luz. Almoçamos uma sopa de ervilha com arroz que o Felipe preparou rapidamente e já retornamos à estrada. Felizmente conseguimos concluir a pesquisa com calma e ainda estava com bastante luz do dia. Aproveitei para colocar os relatórios em dia e em seguida jantamos. Amanhã vamos para a última praia do estado de São Paulo, me alegro de ver que a pesquisa flui em um bom ritmo, agora é descansar que amanhã à tarde já partimos para o Rio de Janeiro.

21 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

Acordamos um pouco mais tarde do que o normal, fizemos um café e passamos boa parte da manhã conversando. Fui então a praia e aproveitei para ver um pouco o campeonato de surf e ler um pouco. Eu particularmente não gosto muito dos dias de folga, sinto que fico muito ansioso, mas sempre aproveito para colocar em dia tudo o que estava atrasado. Lavamos roupa e o Jota lavou o ônibus. No jantar nos reunimos e fizemos o treinamento padrão da expedição para os novos tripulantes.

20 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

Mais uma vez nos divertimos com a playlist enquanto admirávamos a bela vista no caminho. Chegamos na Praia Vermelha do Sul e fomos muito bem recebidos, mas não pudemos fazer a pesquisa porque não havia faixa de areia suficiente. A Praia Vermelha do Sul era linda, conversamos com os locais, e eles nos contaram que avistaram duas baleias-franca há algumas semanas. Realizamos a pesquisa na praia vizinha, a Itamambuca, onde também estava acontecendo um campeonado de surf e muitos curiosos paravam para nos conhecer. Retornando ao Guardião, nos despedimos da Vitoria, enquanto recebíamos Kelen, que viria para seu lugar. Passamos o resto do dia preparando o ônibus para nossa folga no dia seguinte.  

19 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

Acordamos e chovia bastante, nos preparamos para ir até a Escola Prof. Renata Castillho da Silva, no saco do ribeira, onde recebemos no Guardião crianças entre 11 e 14 anos. Foi um dia muito especial, as crianças se encantaram com o Guardião e toda a equipe ficou muito feliz em recebê-las. Fizemos um tour diferente do que estávamos habituados, eu estava conduzindo o tour e cada tripulante permanecia em sua posição no ônibus, a medida que avançava iam explicando sua função e curiosidades da expedição. Recebemos cerca de 120 pessoas entre alunos, professores e pais de alunos, muitas das crianças saiam dali dizendo que queriam se tornar cientistas para fazer parte de nossa tripulação. Terminamos o dia com um sentimento muito bom, após receber tanto carinho de todos que passaram pelo ônibus. Partimos então para nosso próximo ponto ainda em Ubatuba.

18 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

Deixamos Caraguatatuba rumo a Ubatuba, onde recebemos o convite para participar do 1° Workshop do Saco da Ribeira, promovido para os marinheiros da região. No Iate Clube de Ubatuba preparamos a tradicional caponata ondas limpas e o Borrifos bread, receitas que já fazem parte da nossa expedição. Pela tarde fomos para o workshop, falamos do trabalho que a Sea Shepherd vem fazendo no Brasil e no mundo. Para mim, foi um momento particularmente difícil, pois tenho uma grande dificuldade de falar em público, mas a Vitoria se propôs a estar ali junto comigo e fizemos uma palestra incrível.

17 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

Sabíamos que seria um dia apertado, pois iríamos fazer duas praias no mesmo dia, então corremos com as tarefas pela manhã. Chegamos primeiro na Praia Tabatinga, uma praia bem tranquila, enquanto Vitória e Nikole faziam a pesquisa junto com nosso motorista Jota,  fiquei no ônibus com Felipe. Felipe preparava o almoço enquanto eu colocava as planilhas em dia e organizava o cronograma do Rio de Janeiro. Em menos de 3 horas a pesquisa estava feita, então almoçamos e partimos para a Praia do camaroeiro, que infelizmente foi uma praia bem desagradavel. Haviam muitos peixes mortos e muita sujeira, o cheiro era terrível e ficou impregnado. Demoramos bastante tempo para concluir a pesquisa, não via a hora de poder me lavar e tirar aquela roupa que cheirava mal. De volta no camping e de banho tomado, relaxamos e jogando sinuca em uma mesa que havia dentro do camping.

16 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

O dia amanheceu bem quente, acho que o mais quente desde que cheguei ao Guardião da Costa. Hoje irei acompanhar o Jota na manutenção do ônibus, então deixamos os tripulantes na Praia do Pontal da Cruz, com guarda-sóis, e seguimos para o mecânico. Na volta buscamos a tripulação e seguimos viagem para Caraguatatuba.

15 de Agosto - Capitão Caio Rodriguez

A Praia Brava de Boiçucanga não estava nos nossos planos, mas como não conseguimos ter acesso a Praia Brava de Guaecá, nosso coordenador científico Juan nos indicou essa praia para substituir. Frequentei muito a Praia Brava de Boiçucanga na adolescência. Começamos subindo uma trilha muito íngreme, por sorte colocamos os equipamentos em mochilões, o que facilitou nossa caminhada. Encontramos duas caninanas enormes, e admiramos sua passagem. Chegando na praia, o sol estava forte e no meio da pesquisa fomos surpreendidos por um enxame de abelhas bem na nossa área de pesquisa, ficamos um bom tempo na beira da água esperando elas se acalmarem, e ficou tudo bem. Antes de voltar visitamos uma pequena cachoeira no final da praia.

APOIO

Apoio: Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo
Apoio: Yattó Logística Reversa
Apoio: Unicoba
Apoio: Mobimax Solar

PARCERIA CIENTÍFICA

USP - Instituto de Ensinos Avançados da Universidade de São Paulo - Instituto Oceanográfico - Cátedra UNESCO para Sustentabilidade do Oceano

Junte-se a nós

Ajude-nos a proteger o oceano e a vida marinha!