COMUNICADO DA SEA SHEPHERD SOBRE O COVID-19

Queridos amigos, Esperamos que você e seus entes queridos estejam seguros e saudáveis durante estes tempos particularmente desafiadores. Com nossas preocupações aumentando em relação à transmissão do Coronavírus, nós da Sea Shepherd estamos comprometidos com o bem estar de todos, incluindo nossas tripulações, nossa equipe, nossos voluntários e apoiadores.

Estamos focados na proteção dos oceanos, sempre.

Os caçadores e pescadores ilegais não param durante emergências públicas de saúde, assim como a Sea Shepherd e sua missão de proteger a vida marinha. Mesmo nesta época particularmente difícil, nossas campanhas se mantém ativas conforme for seguro seguir em frente. Estamos também tomando todas as devidas precauções para prevenir a chegada e transmissão do vírus em nossos navios.

Cada um de nós tem o poder de fazer a diferença e tornar o mundo um lugar melhor. Mesmo nos dias de hoje. Aqui estão algumas maneiras que todos nós podemos contribuir com isso:

– Cuide de você e dos seus. Fique virtualmente próximo de sua família, dos amigos e dos que possam estar mais vulneráveis.

– Cumpra com as normas de distanciamento social com seriedade. Não viaje ou saia de casa se você realmente não necessitar.

– Por favour mantenha-se sempre bem informado sobre como melhor garantir sua segurança durante o surto de contaminação.

Estes sites abaixo são recomendados:

OMS/ OPAS: https://www.paho.org/bra/

Ministério da Saúde: https://saude.gov.br/

Como parte da família da Sea Shepherd, você é importante para a gente e nós nos preocupamos com você.

Nós te apoiamos e agradecemos por nos apoiar em continuar a proteger a vida marinha ao redor do mundo.

A Sea Shepherd é um movimento global, e seguimos juntos, sempre unidos no nosso compromisso em proteger os que não podem proteger a si mesmos.

SEA SHEPHERD BRASIL EDUCA AGENTES AMBIENTAIS MIRINS

VITÓRIA, ESPÍRITO SANTO – A Sea Shepherd Brasil dá o primeiro importante passo em seu programa educacional que visa focar em uma inovadora maneira de engajar a futura geração de brasileiros, e que tem como seu foco central o profundo entendimento das crianças, adolescentes e adultos sobre a nossa sutil, mas poderosa interdependência com os oceanos e o planeta.

No dia 05 de março de 2020 a àrea Sea Shepherd Educação realizou uma oficina com professores e alunos da Comunidade de Jesus de Nazareth, localizada na capital do Espírito Santo para a apresentação do projeto ‘Cartilha Educacional Ambiental: Educação Ambiental para as Comunidades’.

Doe para ajudar nas Ações de Educação Ambiental

Neste evento, compareceram os alunos do 3º e 4º ano, os alunos do Clube de Ciências e as professoras responsáveis pelas matérias envolvidas no projeto (ciências, geografia e afins), as quais planejam ceder algumas de suas aulas para o conteúdo desta cartilha. Liderando o projeto está Sandro Firmino, coordenador dos projetos Sea Shepherd Educação, a professora Adalgisa Dias Pereira representando a escola E.M.E.F “EDNA DE MATTOS SIQUEIRA GÁUDIO, e também Rúbria Tânia de Oliveira, representante da liderança da comunidade Jesus de Nazareth que se mostra muito animada com o potencial impacto positivo do projeto na comunidade de Jesus de Nazareth.

No evento, a Sea Shepherd Educação compartilhou a missão e propósitos da Sea Shepherd de proteger os oceanos, a nossa interdependência com os oceanos, as principais dificuldades e consequências da falta de educação ambiental e a importância de cada indivíduo da sociedade se tornar agentes de mudança – incluindo nossas crianças – na preservação da vida marinha.

Doe para ajudar nas Ações de Educação Ambiental

O conteúdo, bem didático e impactante, teve como objetivo de aumentar a consciência sobre situação dos oceanos hoje, para dar às crianças um senso de urgência e responsabilidade; as crianças foram expostas a exemplos práticos da situação, como mostrando fotos de animais torturados por plástico nos oceanos, o mar de lixo que estamos gerando e despejando nos mares, provocando uma vontade imediata nas crianças de mudar e agir. Também foram apresentadas soluções práticas de como ser um agente de mudança, como comportamentos diários de conscientização, e ações coletivas de responsabilidade e coleta de lixo e cuidado com as praias – inclusive as ações ativas na comunidade de Nazareth – o que despertou o interesse geral em imediatamente se sentir parte de preservar o local onde moram e se unir com os moradores que já atuaram em prol do meio ambiente.

Nesta oficina, a Sea Shepherd Educação explicou o projeto piloto – que visa à construção de uma cartilha educacional sobre o correto descarte de resíduos e o impacto do lixo na comunidade – e denominou alguns dos alunos da escola a agentes ambientais mirins; fiscalizando e notificando as ações dos moradores para aos poucos integrar e conscientizar toda a comunidade de Jesus de Nazareth no aprendizado e correto descarte de seu lixo e seu impacto positivo para os oceanos e o planeta. Os alunos se demonstraram adeptos com o projeto, e agora trabalham em um processo de seleção do primeiro grupo de 20 agentes ambientais mirins da Sea Shepherd Educação.

Grandes mudanças de comportamento começam com passos pequenos. No caso dos desafios na esfera ambiental, a Sea Shepherd acredita que começa na árdua e desafiante tarefa de estar onde o problema está: não somente na ação direta em nossas praias e oceanos, mas também na formação diária de nossas crianças: os futuros agentes de mudança. Este é um projeto piloto da Sea Shepherd Educação que tem a ambição de ser replicado para escolas e comunidades do Brasil no segundo semestre de 2020.

Mais sobre a Sea Shepherd Brasil

A Sea Shepherd é uma organização internacional sem fins lucrativos de conservação da vida marinha. Fundada em 1977, pelo Capitão e ambientalista Paul Watson, a missão da Sea Shepherd é defender, conservar e proteger a vida marinha e ecossistemas marinhos.

Com campanhas no mundo todo, defendendo desde as baleias no Santuário de Baleias da Antártica contra caça ilegal até tubarões em Galápagos, a Sea Shepherd usa táticas inovadoras e não violentas de ação direta para investigar, documentar e agir quando necessário e para expor e confrontar atividades ilegais nos oceanos. Salvaguardando a biodiversidade de nossos delicados ecossistemas marinhos, a Sea Shepherd trabalha para garantir a sobrevivência dos oceanos para as futuras gerações.

No Brasil, a Sea Shepherd atua para preservação de sistemas costeiros e marinhos com a Operação Ondas Limpas, de remoção do lixo marinho de praias e rios e de educação e conscientização da população sobre consumo e descarte responsável. A Sea Shepherd Brasil também atua em escolas educando jovens sobre preservação dos oceanos.

A Sea Shepherd é conhecida por ter a maior frota de navios não governamentais de preservação ambiental, e trabalha com governos para auxiliar na fiscalização de leis de conservação existentes e proteger espécies e ecossistemas ameaçados, como no caso da vaquita marinha do México.Desde os gentis gigantes do mar até as menores criaturas, a missão da Sea Shepherd é proteger todas as espécies de vida marinha que vivem em nossos oceanos. Nossas campanhas têm defendido baleias, golfinhos, focas, tubarões, pinguins, tartarugas, peixes, krill e aves aquáticas da caça furtiva, pesca insustentável, destruição de habitat e cativeiro explorador.

Mais Informações

Fotos e Vídeos para download

Vídeo no Youtube

contato: nathalie@seashepherd.org.br

BR (tel): +55 11 98242 4738 / (WhatsApp) +1 619 518 17 18

Mergulhadores ajudam na remoção de detritos marinhos e resgate de pequenos animais. Praia do Curral – IlhaBela – SP

Ilhabela SP – No último domingo 15 foi dia de mais uma Operação Ondas Limpas Sea Shepherd Brasil na remoção de detritos marinhos no Parcel Santa Cruz, Praia do Curral. O local com costão rochoso é muito frequentado por banhistas e possui muitos bares e restaurantes, o que torna a praia suscetível de embalagens de alimento e bebidas, bitucas de cigarro e petrechos de pesca. Na limpeza subaquática tivemos a participação de 14 voluntários entre mergulhadores subaquáticos, mergulho livre, apoio na areia e no mar. Todos muito engajados com a preservação dos oceanos e com a missão da Organização.

Doe para ajudar nas Ações de Educação Ambiental

Na tenda Sea Shepherd montada na areia da praia serviu para a triagem de 7,5 kg de micro lixo com pesagem e coleta de dados. Desalojamos dos detritos os organismos marinhos, salvando pequenos crustáceos, ascídias, ermitões, algas e moluscos que voltaram saudáveis para mar. “O Parcel Santa Cruz é um berçário marinho que abriga diversas formas de vida e o trabalho feito aqui hoje foi de extrema importância para o resgate dos pequeninos animais bem como a conscientização ambiental aos banhistas. Ações como esta mitigam atos contra o meio ambiente pois consiste na ação direta, reduzindo os impactos ambientais nocivos da atividade humana”, comenta Mara Lott – Coordenadora da ação, Sea Shepherd Brasil Núcleo São Paulo.

Doe para ajudar na Operação Ondas Limpas

Agradecimento especial do dia vai para os apoiadores da ação Mar e Vida Eco Trip com a logística marinha e científica, Narwall Operadora de Mergulho com a doação dos cilindros, Caminhos do Mar com a ajuda na retirada do lixo e a todos os voluntários participantes da ação.

Pelos Oceanos.

#OndasLimpas.

ANIMAL PLANET TRAZ PARA O BRASIL ‘WATSON’ O DOCUMENTÁRIO PREMIADO SOBRE FUNDADOR DA SEA SHEPHERD

O documentário ‘Watson’, desenvolvido pela mesma criadora de ‘Uma Verdade Inconveniente’, conta sobre as cinco décadas da bravura e dedicação aos oceanos de Paul Watson, ativista ambientalista e fundador da Sea Shepherd.

PORTO ALEGRE – RS – No dia 19 de abril, o filme “Watson”, que conta a história do fundador da organização de conservação da vida marinha Sea Shepherd, o canadense Paul Watson, chega ao Brasil por meio da programação do canal Animal Planet.

Dirigido por Lesley Chilcott, de documentários como “Uma Verdade Inconveniente”, o filme “Watson” é qualificado pelo próprio homenageado como um bom trabalho. “Realmente cobre a minha vida – é mais do que ‘Whale Wars’. São 42 anos de campanha em prol da vida selvagem no oceano”, diz.

O documentário conta em detalhes a história do Capitão Paul Watson, que dedicou sua vida a navegar o mundo para proteger o oceano e seus habitantes.

Ele apresenta Paul Watson como ele realmente é, um tipo diferente de ambientalista que que é tipicamente visto em documentários. Em “Watson,” a diretora Lesley Chilcott – também criadora  de documentários aclamados como o ‘Uma Verdade Inconveniente’ co-criada com Al Gore – apresenta Paul Watson como um ativista marinho que justifica confronto direto em alto mar.

Watson iniciou a organização de conservação marinha Sea Shepherd em 1977. Ele cruzou os sete mares na frota marinha da Sea Shepherd, conhecida como Neptune’s Navy – ou Marinha de Netuno, a reconhecida como a maior frota marinha privada do mundo.  Ele dedicou sua vida inteira a impedir navios baleeiros, de caça ilegal e de pesca ilegal, não reportada e documentada de cometer seus atos criminais, às vezes até colocando seu próprio corpo entre os animais e os arpões. E conforme pode ser visto neste documentário urgente e cativante, este corajoso ‘eco-guerreiro’ ainda continua sendo uma das mais vitais forças no movimento de conservação ambiental. Por mais que ele tenha sido condenado, preso e colocado na lista da Interpol por seu estilo intervencionista, considerando a atual situação, seus métodos parecem ser apropriados para o nível de emergência a qual nos encontramos.

O filme biográfico de Chilcott une uma fotografia de tirar o fôlego, com as lembranças de Watson sobre sua vida e sua missão pessoal de proteger os mares. Famoso pela série “Whale Wars – Defensores das Baleias” Watson iniciou sua vida em uma vila de pescadores no Canadá, e começou sua atividade ambiental soltando castores de emboscadas, e de lá ele nunca parou; se prendendo em navios de caça de focas, se colocando na frente de arpões e jogando seus navio em navios de caça ilegal. Por mais que as imagens abaixo do mar do filme são encantadoras, elas possuem a mesma intensidade que as filmagens arrepiantes das missões de Watson e as cruéis práticas de caça e pesca perpetuada sistematicamente contra os animais marinhos até os dias de hoje.

O documentário, lançado no ano passado, já recebeu reconhecimento internacional e prêmios de respeito como a premiação da ONU ‘Issues and Solutions Award – Biodiversity’ (Prêmio para Problemas e Soluções – Biodiversidade) e o prêmio Zelda Penzel ‘Giving Voice to the Voiceless’ (Dar Voz aos Sem Voz) do Festival de Filme Internacional Hamptons.

Mais Informações

Estréia de Watson no Brasil: dia 19 de Abril na Animal Planet

Watson na mídia internacional

‘Até para os mais céticos sobre as táticas do Watson, ele é bem engajante quando descreve sua preocupação com o meio ambiente, por exemplo quando explica que vendas a curto prazo criam um incentivo para vendedores de peixe a pressionar certas espécies à extinção. O filme pode ser frustrantemente parcial ao Watson, mas não deixa de ser menos urgente’ – New York Times

‘A mensagem em Watson é amedrontadora: Humanos não podem sobreviver na Terra sem o oceano e seu sistema de suporte à vida que torna esta nave espacial habitável (seu monólogo sobre a importância do fitoplâncton é poética e sombria). “Watson” mistura sua mensagem aterrorizante com toques de esperança e triunfo; este fascinante documentário deveria ser conteúdo obrigatório para todos’. – LA Times

Sobre o documentário Watson

Watson é produzido pela Animal Planet, Participant, Terra Mater Factual Studios e Invented by Girls. O filme é dirigido pela Lesley Chilcott, produzido por Louise Runge, Lesley Chilcott, Wolfgang Knöpfler, com Jeff Skoll, Diane Weyermann, Elise Pearlstein, Walter Köhler e Dinah Czezik-Müller como produtores executivos. Conta com Logan Schneider como cinematógrafo e Christophe Beck como compositor. Pela Animal Planet, a produção foi liderada por Erin Wanner, vice presidente sênior de produção.

Sobre a Sea Shepherd

A Sea Shepherd é reconhecida globalmente como a organização mais poderosa e passional da proteção da vida marinha e dos oceanos. Estabelecida em 1977 pelo capitão Paul Watson, a organização sem fins lucrativos está na missão de defender, proteger e conservar os oceanos e a vida marinha. Ela conta com a maior marinha privada do mundo, e lidera campanhas colaborativas de ação direta ‘Pelos Oceanos’. No Brasil ela está presente desde 1998, e conta hoje com ações de ação direta de limpeza de praias, monitoramento do impacto do óleo nos oceanos e de educação ambiental para comunidades menos privilegiadas. Para mais informações sobre a Sea Shepherd Brasil e suas campanhas por aqui, por favor visite o site seashepherd.org.br. 

Sobre a Animal Planet

A Animal Planet é uma das maiores marcas da empresa de mídia Discovery. Com acesso a 360 milhões de casas em mais de 205 países e territórios, é dedicada a criar conteúdo de alta qualidade com apelo global que reflete sua missão de preservar a curiosidade e encantamento com os animais que temos desde crianças. A Animal Planet também é o canal que transmitiu a popular série premiada do Emmy® Whale Wars – Defensores das Baleias, que seguiu o capitão Watson e membros da Sea Shepherd em diversas ações de conservação a bordo de seus navios. Para mais informações, visite www.discoverybrasil.com/animal-planet.

contato: nathalie@seashepherd.org.br

BR (tel): +55 11 98242 4738 /    (WhatsApp) +1 619 518 17 18

OPERAÇÃO AMÉRICA LATINA SEM BITUCAS

Não é só o canudo! Sea Shepherd e parceiros focam em um grande inimigo dos oceanos: a bituca de cigarro.

SÃO PAULO, BRASIL- 21/03/2020

Em uma ação histórica, a Sea Shepherd, organização sem fins lucrativos de proteção à vida marinha, se une com a ONG Mundo Sem Bitucas e outros apoiadores locais e internacionais para uma ação simultânea de mutirão de limpeza em 9 países da América Latina, focado em um único tipo de lixo: a bituca de cigarro.

Por que bitucas? Segundo a Ocean Conservancy, a bituca é o poluente em maior quantidade afetando os oceanos. No último relatório divulgado pela entidade, nas limpezas realizadas em todo o mundo desde 1986, foram coletadas mais de 60 milhões de bitucas, cerca de um terço do total de objetos retirados das praias.

 

 

Em todo mundo, cerca de 5,6 trilhões de bitucas são produzidos  anualmente, a grande maioria feita de filtros feitos com acetato de celulose, um tipo de plástico. Essa substância leva mais de 10 anos para se decompor na natureza e, durante esse tempo, a bituca liberta diversas substâncias tóxicas, como nicotina, chumbo e arsênico.

Muitos fumantes não descartam as bitucas corretamente, jogando-as no chão. Este hábito dificulta a coleta do lixo, que acaba chegando aos esgotos, rios e, por consequência, ao mar, contaminando as águas.  Peixes, tartarugas e outros animais marinhos, confundem estes resíduos com alimento e ingerem as bitucas, causando grandes contaminações na cadeia alimentar. Pesquisadores encontraram resíduos de cigarro no estômago de cerca de 70% das aves marinhas e 30% das tartarugas marinhas.

No Brasil, o epicentro da ação acontecerá no vão do MASP, no dia 21 de Março, a partir das 10h, além de  ações em outros treze pontos em seis estados do País (mais detalhes abaixo).

Participe desta ação e contribua para um mundo sem bitucas. Os participantes devem levar luvas, uma garrafa reutilizável com água potável e uma garrafa PET usada para coletar as  bitucas. 

Cigarro não faz mal só para nossa saúde, mas também para a saúde do nosso planeta.

#LATAMSEMBITUCAS

Ação América Latina Sem Bitucas:

21 de Março 2020 à partir das 10 da manhã

São Paulo

Cidade de São Paulo – Vão do MASP (organizado pela Mundo SEM Bitucas e Sea Shepherd)

Ilhabela – Praia do Perequê (organizado pela Sea Shepherd)

Ubatuba – Praia Grande (organizado pela Sea Shepherd)

Itanhaém – Praia do Sonho (organizado pela Sea Shepherd)

Diadema – Represa Billings na Estância Alto da Serra (organizado pela Sea Shepherd)

Mauá – Praça 22 de Novembro – em frente ao Shopping Rio Tamanduateí (organizado pela Sea Shepherd)

Valinhos – Praça da Paróquia São Sebastião (organizado pela Caitê)

Botucatu – Local a confirmar (organizado pela Linear)

Rio de Janeiro

Paraty – Praia do Pontal (organizado pela Sea Shepherd)

Paraná

Caiobá – Praia Brava de Caiobá (organizado pela Sea Shepherd)

Santa Catarina

Florianópolis – Praia dos Ingleses (organizado pela Sea Shepherd)

Rio Grande do Sul

Rio Grande – Praia do Cassino, em frente à Iemanjá (organizado pela Colixo)

Pernambuco

Recife – Praia da Boa Viagem, altura do edifício Acaiaca (organizado pela Mar Aberto UFPE)

Mais sobre a Sea Shepherd Brasil 

A Sea Shepherd é uma organização internacional sem fins lucrativos de conservação da vida marinha. Fundada em 1977, pelo Capitão e ambientalista Paul Watson, a missão da Sea Shepherd é defender, conservar e proteger a vida marinha e ecossistemas marinhos.

Com campanhas no mundo todo, defendendo desde as baleias no Santuário de Baleias da Antártica contra caça ilegal até tubarões em Galápagos, a Sea Shepherd usa táticas inovadoras e não violentas de ação direta para investigar, documentar e agir quando necessário e para expor e confrontar atividades ilegais nos oceanos. Salvaguardando a biodiversidade de nossos delicados ecossistemas marinhos, a Sea Shepherd trabalha para garantir a sobrevivência dos oceanos para as futuras gerações.

No Brasil, a Sea Shepherd atua para preservação de sistemas costeiros e marinhos com a Operação Ondas Limpas, de remoção do lixo marinho de praias e rios e de educação e conscientização da população sobre consumo e descarte responsável. A Sea Shepherd Brasil também atua em escolas educando jovens sobre preservação dos oceanos.

A Sea Shepherd é conhecida por ter a maior frota de navios não governamentais de preservação ambiental, e trabalha com governos para auxiliar na fiscalização de leis de conservação existentes e proteger espécies e ecossistemas ameaçados, como no caso da vaquita marinha do México.Desde os gentis gigantes do mar até as menores criaturas, a missão da Sea Shepherd é proteger todas as espécies de vida marinha que vivem em nossos oceanos. Nossas campanhas têm defendido baleias, golfinhos, focas, tubarões, pinguins, tartarugas, peixes, krill e aves aquáticas da caça furtiva, pesca insustentável, destruição de habitat e cativeiro explorador.