Home » Destaque, Notícias

O FIM da Operação Nemesis

9 março 2017
Comentário do Capt Alex Cornelissen

A chegada do MV Ocean Warrior em Henderson, Austrália Ocidental, marca o fim da campanha contra a caça de baleias deste ano, pelos caçadores ilegais de baleias no Oceano Antártico.

Nossos navios estiveram no mar por 93 dias (Ocean Warrior) e 90 dias (Steve Irwin). Durante todo este tempo eles procuraram o matadouro flutuante Nisshin Maru, mas lamentamos dizer que não conseguimos travar a popa da fábrica japonesa.

Nós não saberemos o quanto fomos bem sucedidos até que a frota baleeira retorne ao porto e anuncie o número de baleias que mataram, mas nós sabemos que os mantivemos em movimento durante o tempo nas águas de Antártica e isto custou à empresa japonesa, milhões de dólares.

Considerando o período de tempo em que a frota baleeira japonesa permaneceu no Oceano Antártico, está claro que nossa presença limitou severamente a eficácia de suas operações de caça ilegal. Sua cota muito reduzida de apenas 333 baleias (graças aos anos anteriores de campanha da Sea Shepherd) poderia ser facilmente alcançado dentro de poucas semanas de baleação ininterrupta. Mas desta vez, os baleeiros precisaram de mais de três meses, e ainda é duvidoso que tenham atingido este objetivo.

* Sabíamos que esta seria uma campanha muito difícil por várias razões:

O novo programa de caça à baleia da frota baleeira (NEWREP-A) duplicou o tamanho da área de caça de anos anteriores (no âmbito do programa JARPA II considerado "para fins não científicos" pela ICJ em 2014), tornando mais difícil para nós rastreá-los.

A cota reduzida de 333 baleias torna mais difícil para nós sermos tão bem sucedidos quanto antes, se medimos nosso sucesso pelo número de vidas que economizamos. Quando a sua cota auto-alocada era 1.035 baleias, nós fomos geralmente capazes de impedi-los de matar mais de um terço em cada temporada, mas não menos, apesar de nossos esforços.

SI Blue Hornet heli finds the Japanese whaling fleet including the Nisshin Maru, Yushin Maru and the Yushin Maru No. 2. After being spotted with a whale on board the Nishhin they covered it in a blue tarp to not be filmed.

A duração prolongada do período de caça, permite que os baleeiros permaneçam na parte baixa do Oceano Austral, contato que o tempo permita. Também torna mais difícil para a Sea Shepherd intervir toda a temporada de caça às baleias, já que nossa capacidade de combustível é limitada.

O navio de abastecimento de combustível da frota baleeira lhes permite permanecer no Oceano Austral e navegar em alta velocidade durante toda a temporada de caça.

Uma das outras mudanças no chamado programa de "investigação" é a cota transferível: qualquer baleia que conseguimos poupar este ano pode simplesmente ser adicionada ao contingente nos anos seguintes.

* No caso da Sea Shepherd:

Precisamos cobrir distâncias muito maiores do que antes, assim queimando muito mais combustível do que antes.

The Blue Hornet repeatedly returns to the whaling fleet to keep an eye on their position for the SI to catchup and get them on their radar. The whaling fleet including the factory ship the Nisshin Maru and the harpoon ship the Yushin Maru fled from Sea Shepherd.
SI Blue Hornet heli finds the Japanese whaling fleet including the Nisshin Maru, Yushin Maru and the Yushin Maru No. 2 in the Australian owned Antarctic Whale Sanctuary.

Sempre que chegávamos perto dos navios arpoadores ou achávamos a gordura de alguma baleia descartada no mar, que indicava que estávamos perto de onde ocorreram recentes matanças (e portanto perto da frota), o navio-fábrica simplesmente navegou na direção oposta (como visto pelo nosso helicóptero).

O Steve Irwin foi sombreado pelo Yushin Maru 3, tirando assim um dos navios arpoadores de ação por 36 dias. O Ocean Warrior foi detectado em várias ocasiões por outros navios arpoadores, um sinal claro de que esses navios estavam ativamente tentando rastrear nosso novo navio interceptor para retransmitir nossa posição para o Nisshin Maru. Obviamente, isso os tira de ação também, e a velocidade superior do MV Ocean Warrior dificultou o trabalho do navio-fábrica, sem dúvida, tornando a frota baleeira muito nervosa.

* Fatores adicionais:

O tempo foi muito ruim este ano; limitando o número de dias em que a caça era possível. Os baleeiros indicaram que não querem nenhum confronto com o Sea Shepherd. Esta é, obviamente, uma estratégia muito diferente das campanhas anteriores, quando nossos navios foram invadidos, quase desativados e até mesmo perdidos em um caso, por causa dos baleeiros japoneses. A razão para esta mudança na estratégia é óbvia: os baleeiros japoneses querem mostrar que nossa intervenção é inútil, que eles alcançarão sua cota apesar de nossa presença. Eles esperam que vão diminuir a nossa moral até que simplesmente desistamos.

A questão é: eles conseguiram quebrar nossa resistência?

Mesmo não sabendo se eles atingiram sua cota, eu ainda posso confirmar que não. Mesmo não sendo capaz de obter um de nossos navios por trás da rampa do navio de fábrica (nosso objetivo final), ainda causamos dificuldades para o seu programa de caça às baleias.

SI trailed by the out of action Yushin No. 3 passes humpback whales swimming freely.

Qualquer baleia que foi salva, das 333 baleias condenadas à morte, valia a pena irmos para o Oceano Antártico novamente, nesta temporada. Mas mesmo se a cota for cumprida na íntegra, mais uma vez a Sea Shepherd foi a ÚNICA organização que se colocou no caminho desta operação de caça ilegal patrocinada pelo governo japonês.

Capturamos imagens de uma baleia morta deitada no convés do navio-fábrica Nisshin Maru, enquanto a comunidade internacional não fazia nada e enquanto o governo australiano, em particular, saudava a visita oficial do primeiro-ministro japonês com os braços abertos.

Por quê? Por causa do comércio, bem como acordos políticos com o Japão. Ganho financeiro sobre a preservação de espécies sociais e inteligentes. Orgulho obstinado sobre a sanidade ecológica. Uma nação contra a opinião do mundo.

The OW approaches the SI for bunkering at sunrise.

Este ano nos ensinou que precisamos fazer mais, se vamos parar os caçadores de baleias na próxima temporada. Somos uma ONG que combate uma guerra contra a frota baleeira financiada pelo governo japonês. Nós confiamos nas doações e em voluntários, enquanto eles gastam milhões para sustentar esse abate para a inexistente demanda de carne de baleia, e uma indústria que não gerou renda em mais de uma década.

Precisamos de seu apoio mais do que nunca se quisermos ter sucesso. Se tivéssemos o dinheiro, estaríamos enviando dez navios lá embaixo, apoiados pelo nosso próprio navio de abastecimento de combustível.

Não sinto nada além de orgulho pelos capitães e tripulantes do MV Ocean Warrior e do MY Steve Irwin. Eles foram os únicos a estarem no Oceano Austral, tentando parar os caçadores ilegais de baleias. Tendo Eu estado nestas águas em cinco ocasiões, sei do sacrifício que eles fizeram durante tempestades duradouras e dificuldades, lutando contra o enjoo e estarem longe de seus entes queridos quando todo o mundo celebra as férias e as festas de final de ano. Por isso, tenho grande respeito por cada membro da nossa tripulação.

Pelos Oceanos !!!

#SeaShepherd #OpNemesis #SalvandoBaleias

All Contents Copyright © 2012 Sea Shepherd Conservation Society.

produzido por dEx