Home » Destaque, Notícias

BALEIAS JUBARTE NO LITORAL NORTE PAULISTA SÃO FOCO DE PERSEGUIÇÕES

17 julho 2018

São Paulo – O litoral norte paulista recebe nesta época do ano a passagem das baleias jubartes (Megaptera novaeangliae) em sua migração para o nordeste brasileiro. Este período vai de junho a dezembro que durante o inverno antártico migram para águas tropicais e subtropicais para acasalar e dar à luz.

Em Ilhabela, voluntários e ambientalistas juntaram-se num projeto de avistagem de baleias que busca foto identificação caudal, registrando através de navegações no mar e avistagens em terra (para posterior comparação) quais indivíduos estão em migração, bem como registrar suas visitas ao Arquipélago. Foram mais de 45 baleias jubarte avistadas em Ilhabela e região sendo que nove delas nos últimos dias.

Jubarte na costeira do bairro Borrifos em Ilhabela/SP no último domingo – foto Filipe Lott

 

Jubarte na costeira do bairro Borrifos em Ilhabela/SP no último domingo – foto Filipe Lott

O Projeto Baleia à Vista do pesquisador e fotógrafo Julio Cardoso conta com a ajuda de ambientalistas locais para registrar as passagens das gigantes no projeto, seja fotografando sua cauda por bote, barco ou pontos fixos ao longo da costeira numa rede de comunicação de diferentes profissionais que ainda está em formação.

Apoiadores do Projeto Baleia à Vista, Julio Cardoso, Sea Shepherd Brasil, Mar e Vida Ecotrip, Argonautas

No entanto, no último dia 15, quatro baleias jubarte foram avistadas por diferentes membros da equipe em pontos estratégicos de Ilhabela. Uma delas percorreu um longo caminho pelo canal de São Sebastião/Ilhabela e foi possível constatar que se tratava de uma Baleia Corcunda enroscada em uma rede de pesca presa ao rostrum (focinho) e corda apertada no corpo.

No centro, próxima a nadadeira dorsal, uma corda estrangula o corpo da jubarte nesta foto distante do animal.

Barcos colocaram a baleia em risco.

Durante todo o dia a baleia foi monitorada com cuidado pelos ambientalistas na tentativa de soltar a rede fantasma do seu corpo. A operação contou com a ajuda da equipe de resgate de animais marinhos Argonautas e da Operadora de Turismo Mar e Vida Ecotrip que a acompanharam com bote e barco de resgate na trajetória de saída do canal. Infelizmente, ao longo da trajetória de retirar a rede, a baleia foi perseguida por muitos outros barcos que a abordavam diretamente e bloqueavam o seu caminho, contrariando as orientações dos especialistas de afastarem-se.

Imagem de Amostra do You Tube

Estas várias embarcações que a seguiram colocaram enormemente em risco a sua integridade física. O encantamento das pessoas ao ver estes formidáveis animais não poupou os riscos de segurança da baleia que arrastava estressada a rede que na tentativa de fugir quase encalhou em praia rasa.

A esperança é que com o registro da cauda e da corda presa, outros pesquisadores ao longo da jornada desta baleia pelo litoral brasileiro até Abrolhos na Bahia, consigam identificá-la e remover o petrecho de pesca.

Mais uma vez é importante destacar que a presença de embarcações próximas às baleias tem que ser evitada. NÃO NAVEGAR EM ROTA DE COLISÃO, NÃO PERSEGUIR AS BALEIAS é o mais sensato a se fazer e que deve ser respeitada a sua integridade física.

Pelos oceanos!

All Contents Copyright © 2017 Sea Shepherd Conservation Society.

produzido por GPS Digital
EnglishFrançaisDeutschPortuguêsEspañol