Home » Notícias

As tensões aumentam em confronto com os baleeiros japoneses

25 fevereiro 2013

Japão envia apoio militar para proteger frota baleeira ilegal

Nisshin Maru empurra Bob Barker no Sun Laurel. Foto: Tim Watters

A Sea Shepherd Austrália, com sucesso, bloqueou uma terceira tentativa de reabastecimento da frota baleeira japonesa, que está operando ilegalmente, em violação de uma decisão do Tribunal Federal da Austrália que proíbe caça à baleia no território antártico australiano. Durante o processo, o capitão Tomoyuki Ogawa do navio-açougue de baleia, Nisshin Maru, abalroou os navios da Sea Shepherd, Bob Barker e Sam Simon.

Durante a noite anterior, o navio de propriedade coreana e bandeira panamenha, o petroleiro Sun Laurel e o Nisshin Maru seguiram em direção ao sul, devido às águas salpicadas com blocos de gelo grandes e icebergs, a 12 nós na escuridão, sem holofotes. O Sun Laurel não é um navio preparado para navegar sobre o gelo, e está agora 420 milhas ao sul de sessenta graus, com sua carga ilegal de óleo combustível pesado, HFO.

Acompanhando o Sun Laurel estava o Sam Simon, seguido pelo navio de segurança armada, Shonan Maru 2, e o Yushin Maru 3. O Nisshin Maru estava sendo seguido pelo Steve Irwin e pelo Bob Barker, com os dois navios arpoadores restantes da frota japonesa de caça ilegal de baleias no reboque. Haviam seis navios dos baleeiros, e três da Sea Shepherd.

Às 2:00 (horário da Austrália), as duas partes reuniram-se e os três ágeis navios arpoadores Yushin Maru começaram a arrastar linhas incrustantes nas hélices ao atravessar as proas dos navios da Sea Shepherd. O Bob Barker tomou posição e se manteve a bombordo do Sun Laurel para bloquear o reabastecimento do Nisshin Maru, e manteve esta posição enquanto o Nisshin Maru por duas vezes provocou uma colisão entre ele mesmo, o Bob Barker e o Sun Laurel.

O Nisshin Maru imprensou o Bob Barker entre os dois navios grandes, e na turbulência da do rasto de navio combinado, o Bob Barker foi jogado para trás entre o Nisshin Maru e o petroleiro Sun Laurel às 14:48 e 15:16 (horário da Austrália).

O Nisshin Maru disparou seus canhões de água de alta potência para as saídas de ar do Steve Irwin, Bob Barker, e Sam Simon, na tentativa de inundar seus motores. Todas as salas do motor sofreram fortes inundações, mas não há falhas mecânicas.

O Nisshin Maru lançou granadas flashbang para o Bob Barker, uma das quais atingiu e explodiu no Sun Laurel, deixando uma marca escura.

Canhões de água do Steve Irwin foram lançados e a tripulação da Sea Shepherd foi instruída a não apontá-los em qualquer pessoa sobre os navios de caça furtiva.

Em sua última fraca tentativa para chegar ao Sun Laurel, o Nisshin Maru virou o Sam Simon, causando danos ao longo do casco a bombordo do navio e quebrando sua cúpula de comunicações por satélite. Depois de abalroar o Sam Simon, o Nisshin Maru se afastou do Sun Laurel às 17:20 (horário da Austrália), e o Sun Laurel guardou seus guindaste e pára-lamas.

Em uma virada dramática dos acontecimentos, um enorme navio naval japonês se aproxima dos seis navios japoneses. O navio japonês da Força Marítima de Auto-Defesa, Shirase (MMSI #: 431999533) é um quebra-gelo, do tipo “Operações Militares”. Ele transporta cerca de 250 tripulantes e três helicópteros. Ele pesa 12.500 toneladas, tem 138 metros e pode fazer 15 nós. Seu último porto conhecido foi Fremantle.

Quanto ao Shirase, o ex-ministro do Meio Ambiente da Austrália, Ian Campbell, disse: “Este verão este navio estava em Freemantle, a Oeste da Austrália. Agora ele está ajudando a frota baleeira japonesa em suas operações ilegais. Ele deve ser banido de todos os portos australianos a partir de agora”.

Apesar de inúmeras solicitações da Sea Shepherd, bem como as forças políticas, a Austrália não enviou um navio para monitorar as atividades aqui no Território Antártico Australiano, mas um navio de guerra japonês armado está chegando em breve para defender uma operação de caça de baleias que está desprezando o Tribunal Federal australiano, e um navio-tanque, que é ilegal nestas águas com óleo combustível pesado e operando de forma perigosa.

O Diretor da Sea Shepherd Austrália, Jeff Hansen, afirma: “Em dezembro de 2007, como o Shirase, ao Shonan Maru 2 foi concedida a permissão para atracar em Fremantle pelo governo australiano, que afirmou que não era parte da caça à baleia frota. Então, em janeiro de 2010, o mesmo navio, o Shonan Maru 2, passou a bater e destruir o navio registrado da Nova Zelândia, o Ady Gil. Diplomatas australianos foram rápidos para absolver os baleeiros japoneses da culpa, dizendo à Embaixada dos EUA em Canberra que os japoneses saíram “limpos” de qualquer investigação. Efetivamente, esperamos que, mais uma vez, o Japão saia limpo de qualquer investigação australiana por estes últimos flagrantes, tentativas de colisão pelo enorme navio-fábrica baleeiro, o Nisshin Maru. O que efetivamente está acontecendo é que o governo australiano está dando ao Japão o sinal verde para fazer o que sempre quiserem, colocando em perigo a vida da tripulação internacional da Sea Shepherd no Território Antártico da Austrália.”

Nisshin Maru colide o Bob Barker no Sun Laurel. Foto: Glenn Lockitch

Fumaça de vapor do Steve Irwin depois do ataque do canhão d'água. Foto: Eliza Muirhead

Danos no Sam Simon depois de ter sido abalroado pelo Nisshin Maru. Foto: Tim Watters

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

All Contents Copyright © 2017 Sea Shepherd Conservation Society.

produzido por GPS Digital
EnglishFrançaisDeutschPortuguêsEspañol